segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Com habeas corpus "ctrl + C e Ctrl + V" os empresários do mensalão de Parauapebas foram soltos

Veja as imagens da indecência e da falta de caráter, a propina virou empréstimo


  video video



Jeito estranho de emprestar dinheiro

Que tipo de gente filma os "empréstimos"? 

Já pensou, você nem pede, o cara pergunta se você quer, claro, R$ 10 mil, todo mundo quer, mas o rapaz tá filmando sem você saber e sem ao menos sonhar que é empréstimo.

Será que as imagens eram pra depois lembrar aos pobres vereadores que eles contraíram as dívidas e que jamais poderiam esquecer?

Propina clara como a luz do sol

Ou será que era propina mesmo, crime, e as imagens foram usadas pra chantagear e extorquir suas vítimas, os pobres vereadores! 

O desembargador foi  rápido no teclado, contrariando a decisão do juiz da Comarca, bastou um "Ctrl + C e Ctrl + V" e eles estão soltos - os mensaleiros de Parauapebas


Incrível - a situação dos presos totalmente diferente e
a liminar tem sua parte decisória idêntica


Desembargador rápido no teclado e "Ctrl + C Ctrl + V" - pronto, eles estão soltos

Foi uma liminar, isso mesmo, o desembargador não quis nem esperar o mérito, haja convicção .

O desembargador atropela e nem leva em consideração as alegações do juiz local pra manter os prisioneiros na cadeia. 

Até o foragido ganhou habeas corpus

Embora um dos presos tenha sido considerado foragido, o indivíduo que realizava as indecentes gravações, também foi solto.

As provas, agora correm o risco de serem destruídas, mas isso não importa para o desembargador do TJPA, que alega não ver problema na libertação dos acusados.

Eram prisioneiros, eram, pois agora são livres

Os empresários eram prisioneiros, agora estão soltos, dizem que não foi propina o que as indecentes imagem comprova, tudo não passou de um mal entendido, era empréstimo.

Você quer dinheiro, mas é emprestado

O cidadão nada entendeu, nem o Ministério Público e nem o Juiz de Parauapebas, mas o desembargador, lá de Belém, esse entendeu tudo foi rapidinho.


Segundo o tio e o sobrinho,
não era corrupção e nem propina


Rindo à toa

Os empresários do mensalão de Parauapebas estão soltos, rindo da população e zombando dos cidadãos - o habeas corpus foi tipo "ctrl +c" e "ctrl + v", todos estão rindo.

Ele acredita mesmo

A versão dos empresários é a mais pura anedota, segundo o tio e o sobrinho, eles não estavam pagando propina, era só um empréstimo mensal, todo mês, R$ 10 mil para cada vereador, além de aluguel de máquinas.

Veja que eles dizem que é empréstimo



Empresário e empréstimo, tudo a ver, é que eles também tem um banco - BANCO RIBEIRO - mas ainda não levaram ao conhecimento do Banco Central e nem abriram sua agência em Parauapebas pra você também pedir um empréstimo.

O desembargador ver indícios de autoria e materialidade, mas soltou 

Segundo diz o desembargador, no seu relatório, há indícios de materialidade e autoria.

Os advogados negam, numa defesa onde fazem o que podem, afirmam que era empréstimo e que também os vereadores não eram funcionários públicos, pois ainda não tinham assumidos os seus cargos, logo não há que falar em corrupção, como se fosse preciso.

Sem razão

Os vídeos são mais que indícios, não se trata de convicção é prova mesmo, as imagens são de antes e depois dos vereadores assumirem os cargos, embora isso seja irrelevante pra tipificação da corrupção.

Assim como foi pra conceder o Habeas Corpus siamês, espera-se que esse processo não passe 20 anos nas gavetas das autoridades locais, como tem sido a regra.

2 comentários:

  1. A maior corrupção do Brasil está no Judiciário e aqui no Pará isso é ainda mais evidente. Não importa se seja ladrão assassino, estrupador, ou prefeito corrupto: se tiver grana, tá tudo resolvido.

    ResponderExcluir
  2. Qual é o nome do desembargador?

    ResponderExcluir