quinta-feira, 2 de julho de 2015

Veja matéria da TV LIBERAL sobre a corrupção em Parauapebas, jornal não cita o prefeito municipal

Em Parauapebas, 15 vereadores são suspeitos de corrupção


video

Vereador Josineto Feitosa (SDD) foi preso nesta quarta-feira, na sua casa.

Prisão e apreensões são resultado da segunda fase da operação Filisteus.

Quinze vereadores de Parauapebas, no sudeste do Pará, estão sendo investigados pelo Ministério Público do Estado (MPE) por suspeita de corrupção na Câmara Municipal. O vereador e ex-presidente do órgão, Josineto Feitosa (SDD), foi preso na sua residência nesta quarta-feira (1°) pelo Grupo de Atuação de Combate ao Crime Organizado (GAECO), ligado ao MPE, durante a segunda fase da operação Filisteus. Ele é suspeito de fraudar licitações na prefeitura do município. O cunhado e assessor de Josineto, Herbert Herland Matias de Gomes, teve a prisão decretada, mas ainda não foi localizado. O advogado de Herbert informou ao MPE que ele vai se apresentar, mas, para os promotores, ele é considerado foragido da Justiça.



"Nós apreendemos uma quantidade bem grande de documentos que vão permitir que a gente saiba a extenção dessa cadeia criminosa, quem participa efetivamente dela, quem se beneficiou do dinheiro público", afirmou o promotor Hélio Rubens.

Ainda de acordo com Rubens, a acusação contra o vereador Feitosa seria porque ele forneceu uma certidão falsa atestando a aptidão técnica de uma empresa, e com base nesse documento, a empresa conseguiu participar de um certame licitatório realizado pela prefeitura. "A licitação foi organizada por Josineto, por meio de Herbert. Averiguamos ainda denúncias de intimidação contra testemunhas desses casos de fraude". Josineto foi levado para a sede do MPE para ser ouvido. O depoimento durou toda a manhã.

Com a notícia da prisão do vereador, um grupo de pessoas passou a manhã na frente do prédio do Ministério Público. "O que a gente espera, não só da Polícia Federal como do Ministério Público, é que seja feito um limpa, que a gente colocou eles para nos defender, mas são os primeiros que vão lá e sacam o dinheiro do povo", reclamou a comerciante Charliar Maria da Silva.

Filisteu

A operação teve início em maio deste ano. As prisões desta quarta são desmembramentos da das investigações, realizadas pelo MPE em parceria com a Polícia Federal, e que resultaram na prisão de Odilon Rocha (SDD), também verador de Parauapebas. Ele foi detido no dia 26 de maio, suspeito de participar de um esquema de fraudes em licitações entre os anos de 2013 e 2014, quando exerceu o cargo de primeiro secretário da câmara do município. Além dele, também foram presos o vereador José Arenes (PT) e o empresário Edimar Cavalcante.

3 comentários:

  1. engraçado, e o prefeito vai nessa barca não, ele é o pior de todos

    ResponderExcluir
  2. Agora ai realmemte é contraditório pq o chefe maior dos roubos e de acabar com a prefeitura q é uma das mais ricas.... As irregularidades e fraudes são evidentes p quem q ver. Lembram do processo seletivo da UPA Cidade Jardim e Jardim Canadá??? Filas enormes, pessoas até dormiram na fila p garantir sua inscrição e entrega de documentação Autenticada que custa caro, pois é aiii cadê a UPA??? No Jardim Canadá eles apagaram o nome Upa e funciona o Centro de especialidades. Q a justiça funcione de verdade.

    ResponderExcluir
  3. Vamos ver em quantas fases vai se desdobrar essa investigação, pelo jeito vai longe. Esta parecendo a operação lava-jato do Paraná que já está na 14 fase. É isso aí ministro público Parabéns, agora além de prender tem que fazer devolver o dinheiro desviado.

    ResponderExcluir