quinta-feira, 17 de outubro de 2013

O PT APÓIA A CRIMINALIZAÇÃO DOS MOVIMENTOS SOCIAIS OU É QUE NEM A GLOBO, SÓ DOS "VÂNDALOS"?

O governo do RJ empreende uma generalizada criminalização dos protestos contra a "embromação" que é aliança PT/PMDB naquele estado, massacrando os professores. Mas o efeito, como sempre, é o contrário e os protestos em apoio aos professores crescem pelo Brasil afora.

Impressiona o silêncio da bancada do PT no congresso nacional, isso que é mudança, uma década de governo e confesso que começo a ouvir as palavras de Regina Duarte como profecia, está dando medo.

O silêncio do PT revela muitas coisas: apóia os métodos adotados pelo governador Cabral, quem o PT apoiou e tem o vice-líder do seu governo na Assembléia; o PT tem receio dos protestos transformarem em pó a frágil liderança governista em vista da eleição de 2014; Marina Silva assombra o PT.
_________________________________

Leia o texto do Rudá Ricci, sociólogo que não podemos dizer que seja um anti-petista, preferindo vá direto ao Blog do professor AQUI.

Pesquisador da Escola Nacional de Saúde Pública é detido em manifestação no RJ


Pesquisador preso...
ainda bem,
fosse pedreiro?
Pois é. Estamos vivendo este pêndulo da avaliação sobre as manifestações pós-junho. Alguns ressaltam o "vandalismo" daqueles que quebram bancos e tudo o que aparece na sua frente. Outros (me incluo neste grupo) procuram ressaltar a ausência de prática política, de negociação de autoridades públicas com manifestantes e a ação excessiva da polícia (em alguns casos, também do MP) procurando criminalizar qualquer protesto. 

Fico pensando por qual motivo nas manifestantes pelo impeachment de Collor e Campanha das Diretas não havia violência em cena aberta. Exatamente porque havia mediação, havia representação que bebia nas ruas para encaminhar ações institucionais. Agora, não temos mais esta mediação em virtude de uma geração de políticos despreparados e que sonham em ser empresários. Não gostam do fazer política, da capacidade de formular consensos ou convencer a maioria no jogo de gangorra entre racionalidade e paixão. 

Vejam esta notícia que está no site da Escola Nacional de Saúde Pública/Fiocruz, no Rio de Janeiro. Paulo Roberto, professor desta reconhecida instituição foi preso pela polícia na noite de terça-feira quando se juntou aos manifestantes. Ele estava na escadaria da Câmara Municipal, onde alguns jovens sugeriam a sua ocupação, como já ocorreu em tantas outras capitais mas que, no Rio de Janeiro, aparece como ofensa à Ordem e ao mundo civilizado. O professor foi "enquadrado nos crimes de danos ao patrimônio público, formação de quadrilha, roubo e incêndio - todos inafiançáveis".

Isto é ou não a criminalização generalizada da questão social pela "política" de Estado? É ou não um exagero que estende perigosamente as garras estatais para o direito cívico de manifestação?.

2 comentários:

  1. Vai te catar - de novo.

    ResponderExcluir
  2. moço e difícil quando teu irmão e tua mãe eram do PT esse partido prestava, agora esse partido não presta mais, digamos quando tua família tinha uma boquinha ai sim Darci, Passinato, Coutinho, Ernades Margalho, Fontana, Keniston, Raimundo Neto, Antonio Neto, Odilsa, por que não dona Leni, Waterlo e Elzebio, Ze Alves, todos prestavam agora niguem presta mais, eita terra de murro baixo,,,,mais e assim mesmo lasca a lenha kkkk

    ResponderExcluir