CORONAVÍRUS - FIOCRUZ

CORONAVÍRUS - FIOCRUZ
TIRES SUAS DÚVIDAS SOBRE A PANDEMIA

sexta-feira, 31 de janeiro de 2020

WHITE TRATORES: R$ 143 milhões faturados na prefeitura de Parauapebas



O 'mistério público' de Parauapebas é branco 

Em 2017 faturou R$ 36,6 milhões (clique aqui), em 2018 foram R$ 46,8 milhões (clique aqui) e em 2019 amealhou R$ 59,8 milhões (clique aqui), em 2020 o 'mistério é público' em Parauapebas e atende pelo nome de Branco.

Os valores acima são referentes apenas a uma empresa, White Tratores, do dono do partido PROS, o empresário João Vicente, conhecido como Branco, não se tem notícias de que ele seja sócio de outras empresas contratadas pela prefeitura de Parauapebas.  

PRO$

O partido controlado pelo empresário João Vicente Ferreira do Vale, 'el patron', também conhecido como "Branco", tem sido o destino de muitos pré-candidatos à Câmara de Parauapebas, muita gente não entendia os 'motivos', agora parece que tudo ficou clareado, entre 2017 e 2019, a White Tratores faturou do erário municipal a bagatela de R$ 143,4 milhões.

Onde a White Tratores aplica tanto dinheiro no município é um 'mistério público' que merece ser clareado.

O basculante tem encosto

Apenas no Contrato n° 20180522, para começo de festa na Secretaria Municipal de Obras, foram despejados R$ 21,2 MILHÕES, entre os itens do acordo estava prevista a locação de 200 caminhões basculantes, com um detalhe crucial, o equipamento tinha que ter 'encosto em todos os bancos'.

Juntando outros tipos de caminhões, apenas no contrato já citado acima, a prefeitura de Parauapebas locou 288 caminhões da White Tratores.

Como se percebe, o 'mistério público' é branco em Parauapebas.



quinta-feira, 30 de janeiro de 2020

White Tratores: O caso do avião apreendido com R$ 1.1 milhão

Parauapebas, o patrão e o avião de R$ 1.1 milhão





Deu foi em nada

No dia 2 de outubro de 2012, a cidade de Parauapebas viveu o episódio da apreensão de um avião com cerca de R$ 1.1 MILHÃO de reais, na época o juiz eleitoral, Dr. Líbio Moura, recebeu uma denúncia e se dirigiu ao Aeroporto de Carajás/Parauapebas para efetuar o flagrante.

Acredite, depois de quase 8 anos o caso não deu foi em nada, todos os personagens estão em Parauapebas, alguns ocupando cargos públicos importantes no governo municipal.

Não tem medo de avião

No episódio, o mais inusitado foi a postura do Sr. JOÃO VICENTE FERREIRA DO VALE, 'o patrão', conhecido como Branco da White Tratores, o homem que não tem medo de avião, na época ele não fugiu da raia, assumiu a propriedade da aeronave e do dinheiro.

Compensa

A postura desafiadora do rapaz compensou, a situação dele evoluiu bastante e saiu das sombras, gostou da política e hoje é dono de um partido em Parauapebas, o PROS, controlando a Câmara de Vereadores e a Secretaria Municipal de Obras, esses dois órgãos tem a bagatela de R$ 186 milhões para gastar em 2020.

A desenvoltura do rapaz que não tem medo de avião chama a atenção do meio politico de Parauapebas, com o mapa do resultado eleitoral de 2016, Branco anda convidando boa parte dos suplentes e candidatos a vereadores para voar no seu projeto de poder nas eleições de 2020, o dono do PROS tem deixado alguns partidos esvaziados, caso da REDE.

Cadê o avião? Está pertinho


A turma do avião está toda na prefeitura de Parauapebas, mas a aeronave PR-DEP mudou de dono desde 2014, hoje está com o seu certificado de aeronavegabilidade suspenso e pertence à empresa HIPERMAKRO MATERIAIS PARA CONSTRUCAO LTDA., segundo o Registro Aeronáutico Brasileiro (aqui - ANAC)

________________________________________________

Caso você queira mais informações clique nos links abaixo:





quarta-feira, 29 de janeiro de 2020

NEPOTISMO: Darci Lermen e ex-procurador geral do município de Parauapebas são denunciados

Prefeito nomeou a esposa do procurador geral do município, gastando R$ 55 mil dos cofres públicos, diz a denúncia




Descoberto mais um caso de nepotismo em Parauapebas

O prefeito de Parauapebas, Darci Lermen, foi denunciado por nepotismo, dessa vez o caso envolve o ex-procurador geral do município, Cláudio Moraes e sua esposa, Nayara Moraes.

Segundo a denúncia, veiculada na Ação Popular n° 0812333-97.2019.8.14.0040, tramitando na Fazenda Pública de Execução Fiscal da Comarca de Parauapebas, a Sra. Nayara Moraes teria recebido mais de R$ 55 mil durante o período da sua nomeação.

Nepotismo grosseiro 

O caso é um verdadeiro descaso, trata-se de 'nepotismo' grosseiro, debochado, pois a Sra. Nayara Moraes é  esposa do então procurador geral do município e também vem a ser filha de Ângela da Silva, secretária municipal da mulher.

Nayara foi nomeada por Darci Lermen para trabalhar sob às ordens do secretário de fazenda, Keniston Braga.

Ato secreto

A nomeação da Sra. Nayara Moraes foi realizada secretamente, mediante o Decreto n° 093/2017, segundo a denúncia, sem a devida publicidade no Diário Oficial do Pará.

A mamata custou R$ 55 mil



Dr. Cláudio Moraes foi procurador geral do município de Parauapebas, é advogado particular de Darci Lermen em diversas ações na justiça eleitoral e criminal, também é parceiro de Thiago Lermen, filho do prefeito Darci Lermen, por certo, ele, Cláudio Moraes, deve ter conhecimento da Súmula Vinculante n° 13, do Supremo Tribunal Federal, que veda a prática de nepotismo na administração pública:

Súmula Vinculante 13

"A nomeação de cônjuge, companheiro ou parente em linha reta, colateral ou por afinidade, até o terceiro grau, inclusive, da autoridade nomeante ou de servidor da mesma pessoa jurídica investido em cargo de direção, chefia ou assessoramento, para o exercício de cargo em comissão ou de confiança ou, ainda, de função gratificada na administração pública direta e indireta em qualquer dos poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, compreendido o ajuste mediante designações recíprocas, viola a Constituição Federal". (Leia aqui - STF)


Decisão judicial

Foi pedido em liminar o bloqueio dos bens dos envolvidos, sendo que a justiça entendeu ser necessária mais dilação probatória acerca do vínculo matrimonial de Cláudio Moraes com Nayara Moraes.

O juiz, Lauro Fontes, também quer provas de que o prefeito de Parauapebas e o secretário de fazenda tinham conhecimento do grau de parentesco de Nayara Moraes com o então procurador geral e com Ângela da Silva, secretária municipal da mulher.

"Tá fácil e tá difícil"

Parece que o caso é do tipo 'tá fácil e tá difícil', pois basta a cópia do RG da Sra. Nayara Moraes para provar que ela é filha da Sra. Ângela, ou seja, 'tá fácil'.

Basta a cópia da certidão de casamento de Cláudio Moraes para provar que Nayara é sua esposa, ou seja, 'tá fácil'.

Já Darci Lermen e Keniston Braga, prefeito e secretário de fazenda, negarem que tem relações profissionais e de amizade com o casal Cláudio Moraes e Nayara Moraes: 'tá difícil'.


Em matéria de nepotismo: a festa é sua, mas o dinheiro é nosso...


segunda-feira, 27 de janeiro de 2020

Stalin libertou os judeus das garras de Hitler, há 75 anos em Auschwitz

Stalin libertou a Polônia do jugo nazista e partiu para destruir Hitler em Berlim




Na Alemanha quem nega o Holocausto é condenado a prisão

No Brasil, o seu despreparado presidente da república, Bolsonaro, nega a existência da ditadura militar e homenageia torturador, o seu demitido secretário de cultura reverenciou Goebbels, o chefe da propaganda do regime de Hitler, mas na Alemanha a situação é bem diferente, desde 1985 a negação do extermínio dos judeus pelo regime nazista pode resultar em prisão de até 5 anos, na Áustria, essa pena pode chegar até a 20 anos (aqui-DW).

Para Hitler, só Stálin

Há 75 anos, Auschwitz, localizado na Polônia, o mais cruel campo de concentração nazista era destruído pelo exército da União Soviética.

Em Auschwitz, o regime de Hitler assassinou mais de 1 milhão de judeus (aqui-BdF).

Não fosse a determinação do povo da União Soviética e o comando de Stálin, provavelmente a história do mundo seria outra, o nazismo teria vencido a segunda guerra mundial e os judeus exterminados.

A extrema-direita pró Hitler volta a assombrar o mundo

Hoje, países que sofreram nas mãos de Hitler estão dominados por governos que são simpatizantes do nazismo e cultuam valores políticos da extrema-direita, por exemplo, a Polônia, a Hungria e a Ucrânia, todos apoiados pelo presidente dos EUA, Donald Trump, que também é aliado de Bolsonaro.

Tentam revisar a história e negar a realidade com 'fakenews'

Nos EUA, no Brasil, na Polônia, na Hungria e na Ucrânia, a extrema-direita tenta mudar a história com 'fakenews': na Europa, negam o papel de Stálin e do Exército Vermelho, verdadeiros responsáveis pela derrota do nazismo;  No Brasil, o tresloucado Bolsonaro nega a ditadura e homenageia seus torturadores, quer transformá-los em heróis; Nos EUA, o presidente nega até a mudança climática.

Para eles, holocausto, genocídio indígena, ditadura militar, tudo é 'uma questão de opinião', na loucura, eles tem até evidência de que a terra é plana!

domingo, 26 de janeiro de 2020

Parauapebas: Construção civil faz a cidade ser campeã na geração de empregos


Construção Civil foi a grande empregadora em Parauapebas no ano de 2019, com 2.840 vagas criadas no município







Oportunidade

Enquanto o Brasil vive o drama do desemprego provocado por Bolsonaro e Paulo Guedes, a cidade de Parauapebas tem uma situação totalmente oposta, o município bateu record na criação de postos de trabalho em 2019, foram 5.670 novas vagas, mas a boa notícia para os moradores do município paraense é que 2.840 delas, mais da metade, foram geradas na construção civil, parte considerável se deve as obras públicas iniciadas pelo governo local.

A mineradora VALE não ajuda

O setor extrativo mineral, em 2019, fechou o ano com um saldo de apenas 105 vagas geradas em Parauapebas, ou seja, fosse depender de alguma ajuda da Vale os trabalhadores estariam amargando o desalento e o desemprego, justamente onde os acionistas da VALE tem mais lucros.

Obras reais

Em 2017, Parauapebas teve saldo de 411 empregos na construção civil, já em 2018, consolidada a recuperação da receita orçamentária do município pela gestão atual, a execução de obras reais mais que dobrou o número de vagas criadas para 890, sendo que em 2019 saltou para extraordinários 2.840 empregos, um grande feito do município, com impacto considerável neste ano de eleições para prefeito.

Parauapebas lidera

A geração de empregos na construção civil, observada em Parauapebas, é decorrente de ações locais do governo municipal, basta comparar com outros municípios em situação similar, caso de Marabá, que em 2019 também teve um bom desempenho, com 1.810 empregos, apesar de ter uma população maior, essa cidade gerou cerca de mil 1.000 vagas a menos que Parauapebas. Canaã dos Carajás, ao lado, gerou apenas 178 empregos na construção civil.

Obras 'fake' não precisa de engenheiro e muito menos de pedreiro

Em 2016, na disputa pela reeleição, Valmir da Integral fez sua campanha baseada na suposta realização de '360 obras', era apenas propaganda para 'japonês ver' (clique aqui e leia)na construção civil, em 2016,  Parauapebas teve um saldo negativo de 847 empregos, tudo não passava de 'obras fakenews', um tipo de 'obras' que não precisa de engenheiro e muito menos de pedreiro.

Quadro comparativo de 2016 e 2019

O quadro comparativo do Caged não deixa dúvidas, Darci vem para uma reeleição com dados amplamente favoráveis na geração de empregos no município, algo que pode melhorar ainda mais em 2020:




Emprego e reeleição tem tudo a ver 

Quando disputou a reeleição de 2008, Parauapebas vivia uma situação de pleno emprego, foram geradas naquele ano cerca de 5.407 vagas, Darci Lermen saiu das urnas com 57,29% dos votos válidos, ganhou mais 4 anos de mandato e enterrou a carreira política de Bel Mesquita.

Em 2016, Valmir enfrentou situação oposta

Em 2016, Valmir da Integral tentou a reeleição, foi para as urnas com um saldo negativo de 11.962 postos de trabalho acumulados ao longo do seu mandato, de janeiro de 2013 a setembro de 2016, sendo derrotado por Darci Lermen.

Agora, Darci e Valmir, tudo indica, se enfrentarão nas urnas, sendo que o atual prefeito vem para a disputa com um saldo positivo de 7.703 empregos criados no município entre janeiro de 2017 a dezembro de 2019, números consolidados pelo Caged, caso 2020 ajude, o resultado eleitoral é quase previsível.

____________________
* Postagem com novos dados do CAGED

CAGED: Apenas dezembro de 2019 fechou 307.311 postos de trabalho, péssimo sinal para 2020

Bolsonaro e Temer sumiram com 2,7 milhões de empregos, mostra o Caged




Leia também no Canal 2N - clique aqui


Propaganda 'nazi' e a realidade paralela

Há muitos 'Brasis', Milton Santos falava em 4, nenhum deles tratava do 'Brazil Paralelo' que existe na propaganda do governo e na cabeça do seguidor do Bolsonaro, esse 'brazil' deve ser 'real' em algum curral do interior do "Goiás', mas não é encontrado nos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

A bolha já estourou

O Caged de 2019 mostrou uma dura realidade para as famílias brasileiras, a 'bolha' de precários empregos criada pela liberação do FGTS já estourou, em dezembro o Brasil real perdeu 307.311 postos de trabalhos, sinalizando que o ano de 2020 será muito pior.

Assim como Temer, Bolsonaro usou a liberação do FGTS dos trabalhadores para gerar uma 'bolha', a 'agência de propaganda' do governo (aqui-EBC) difundia a criação de 2.9 milhões de empregos nos próximos 10 anos, pífios 290 mil empregos ao ano, já seria muito ruim, mas nem isso conseguem oferecer ao país, o que se constata é algo muito pior: o Brasil real perdeu 2.7 milhões vagas em 5 anos, com a diminuição do estoque de empregos formais. 

Menos 2.7 milhões de empregos, desde 2014


O estoque de empregos formais fechou 2019 com cerca de 39,05 milhões de vínculos, segundo o próprio Caged (aqui - página 11), praticamente estável comparando com 2018, bem distante do record de setembro de 2014, quando o total de trabalhadores formais atingiu 41,8 milhões (Caged-aqui), simplesmente Bolsonaro e Temer sumiram com cerca de 2,7 milhões de empregos formais.

Desvios de recursos do FGTS


O 'crime' é muito pior, o FGTS é um fundo que deveria ser utilizado em investimentos estruturais para melhorar a qualidade de vida das famílias, como o 'programa Minha Casa Minha Vida', mas os recursos estão sendo desviados das suas finalidades, como se percebe, essa poupança dos brasileiros foi 'surrupiada' pela demagogia de Temer e Bolsonaro.

Dezembro e a tragédia do desemprego continua para 2020


A tragédia e o cinismo da propaganda do governo e da Globo escondem a dura realidade, ao contrário do que divulgam, o ano de 2019 encerrou dramaticamente com o desemprego em alta, atormentando as famílias brasileiras, apenas em dezembro o país perdeu 307.311 postos de trabalho veja  a tabela do Caged:






O próprio relatório do Caged mostra, logo no seu início, 'o emprego celetista no Brasil apresentou contração em dezembro de 2019, registrando saldo de -307.311 postos de trabalho. Esse resultado decorreu de 990.848 admissões e de 1.298.159 desligamentos(aqui - página 3).

O cenário para 2020 é muito pior do que tem sido até o momento, talvez não tenha a 'bolha' do FGTS.

sexta-feira, 24 de janeiro de 2020

A Lava Jato, Moro e Bolsonaro jogaram o Brasil na corrupção sem freios, país despenca 37 posições no ranking

Lava Jato, Moro e Bolsonaro faz Brasil cair pelo 5º ano seguido no 'Ranking da Corrupção', país já despencou 37 posições





Em matéria de corrupção, Bolsonaro é um campeão

Para quem está acostumado com a narrativa mentirosa da Globo, Lava Jato e Bolsonaro o índice de percepção de corrupção divulgado pela Transparência Internacional é um duro golpe para a 'aliança do mal' que governa o Brasil.

A Transparência Internacional mostra que em 2019 a percepção de corrupção aumenta no Brasil, Bolsonaro faz o país cair no ranking, repete a sua pior nota dos últimos anos, 35 pontos, ficando ao lado de países como a Argélia, Egito, Macedônia do Norte, a Mongólia e a Costa do Marfim (aqui na BBC).

"A edição de 2019 também marca o 5º ano seguido em que o Brasil piora sua posição em relação aos demais países: a última vez que o país avançou no ranking foi em 2014, quando chegou ao 69º lugar. De lá para cá, houve queda relativa em todas as edições". (aqui- BBC)


A Lava Jato é a corrupção sem freios que tomou o judiciário, o ministério público e a polícia federal de Moro e Dallagnol

Alguém pode dizer que o Brasil parou de cair, foi apenas uma posição no ranking, tentar minimizar o desastre, mas o fato é que se estávamos no fundo do poço, podemos dizer que com Bolsonaro esse poço não tem fundo, basta ver que em 2014, antes do 'golpe dos canalhas', ano em que surgiu a 'orcrim' Lava Jato, braço da extrema-direita no aparato estatal brasileiro, o país alcançou 43 pontos, estava na média global, ficando em 69° lugar. 

Nos dois últimos anos de LULA, 2009 e 2010, o Brasil variou de 69° para 73° (aqui-BBC), hoje, o país está em 106°, um mar de distância.  Bolsonaro, Moro, Temer, Cunha, Globo fizeram o Brasil cair 37 posições, é a corrupção sem freios. 

Com Lava Jato e Bolsonaro tudo fez foi piorar e muito, mas Bolsonaro e Moro não estão presos, querem corre esse risco é o jornalista e o porteiro.

Ele não está preso

Bolsonaro ainda não está preso, mas para ele ser presidente tiveram que prender LULA, agora o país e o mundo sabem o motivo (leia no NYT): LULA foi preso por um 'juiz ladrão' (aqui), como prova a série de reportagens da Vaza Jato, no The Intecept, (aqui), revelando as conexões criminosas de Sérgio Moro e Dallagnol para tirar LULA das eleições de 2018 e abrir caminho para Bolsonaro e a extrema-direita, com sua política neoliberal, chegarem ao Palácio do Planalto, teve até a recompensa de um ministério para o 'juiz ladrão' (aqui).


Transparência Internacional




Veja tabela de 2012 a 2018 - Transparência Internacional


Bolsonaro e a 'corrupção' em família

Ontem mesmo (22), a Folha de São Paulo trouxe matéria provando que o irmão de Bolsonaro faz intermediação e consegue liberar cerca de R$ 100 milhões (Folha), dentro do Palácio do Planalto, é o mesmo irmão que era funcionário fantasma na Assembleia de São Paulo (aqui), o meliante nunca foi preso, com se percebe, toda a 'familícia' tem um histórico de ilegalidades e de 'mamata no erário' bem como de proteção do judiciário, do ministério público e de policiais corruptos.


O nazismo brasileiro é a cultura 'gospel-miliciana' - a cria do mal


O governo de milícias tem um 'juiz ladrão" (aqui)' no comando da segurança pública, fazendo tudo piorar e muito, não é apenas a corrupção que aumentou: a violência policial, a intolerância religiosa, o descrédito nas instituições, a pobreza, o desemprego, etc.

No Brasil de Bolsonaro o aparato estatal passa a ser o principal agente de instabilidade e insegurança, propagandeia o ódio e a violência, cria o 'prêmio nazista de artes' para difundir a cultura 'gospel-miliciana', uma espécie de 'nazismo dos pobres', algo que parece gerado a partir de uma inseminação artificial no útero da Damares com esperma do Marcola (PCC - aqui), ou seja, a cria do mal.

Com Bolsonaro se inicia um ciclo inédito e bizarro da nossa história, tudo sob governo que é uma aliança política entre o crime, as milícias e as igrejas evangélicas neo-pentecostais.

Aguenta, Brasil!

quarta-feira, 22 de janeiro de 2020

Brumadinho/MG: MP denuncia ex-presidente da Vale, 272 pessoas assassinadas, mas com Bolsonaro o crime ainda 'VALE a pena'

272 mortos - o crime 'VALE' a pena, um ano depois a impunidade impera e a mineradora recupera o seu valor de mercado 




Leia também no Canal 2N - clique aqui


Ministério Público e Polícia Civil de Minas Gerais rompem proteção de Moro e Bolsonaro aos assassinos de Brumadinho/MG


Ontem (21), o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) apresentou ao Poder Judiciário uma denúncia contra 16 pessoas pelos assassinatos de Brumadinho/MG, entre eles o ex-presidente da VALE, Fabio Schvartsman, finalmente réu.

A atitude corajosa do MPMG e da PCMG merece louvor, não enfrentam apenas as 'forças' poderosas do mercado de capitais, também passam por cima da PF e do MPF de Moro e Bolsonaro (leia AQUI). 

A denúncia do MPMG considera que foram 270 mortos, mas os levantamentos de entidade não governamentais afirmam que são 272 vítimas fatais.

Sob Bolsonaro o crime 'VALE a pena'

O MPMG, tenta romper em parte a proteção que Bolsonaro e Moro ofertam aos assassinos de Brumadinho/MG, tal qual o MPRJ tenta romper a proteção para os assassinos de Marielle Franco, mas o fato é que a impunidade está vencendo nos dois casos, nesse Brasil governado por milícias.

Passado um ano da 'chacina' de Brumadinho, a mineradora Vale só tem motivos para comemorações, ela já até recuperou o seu valor de mercado, a ação da empresa que tinha despencado de R$ 56,15 para R$ 42,38 após o rompimento da sua barragem, perdendo cerca de 24,5% do seu valor de mercado, nesse começo de 2020 seus papéis já são cotados a R$ 57, maior que a do dia anterior ao da 'chacina' (aqui-Folha).

Em 2019, ainda sob efeito dos seus crimes em Brumadinho/MG e Mariana/MG, os papéis da Vale atingiram o piso de R$ 41,59.

No Brasil, na 'merdocracia neoliberal neofascista' de Bolsonaro, o crime 'VALE a pena'! (aqui)

Um ano de cinismo e impunidade de Moro e Bolsonaro

Embora o MPMG tente romper a proteção dada a mineradora Vale, pelo governo Bolsonaro, pela PF de Moro e pelo Poder Judiciário, o fato é que no próximo dia 25 de janeiro completará um ano da 'chacina' de Brumadinho-MG e com todos os responsáveis livres e soltos.

Era pra ser, mas virou milícia federal

A PF, principal responsável pela investigação dos crimes da Vale em Brumadinho/MG, se transformou numa cínica milícia política/partidária do governo Bolsonaro, sob a chefia de Sérgio Moro, ela que deveria ser a primeira a apresentar algo de sério para a sociedade brasileira, vergonhosamente indicia apenas funcionários do baixo escalão da mineradora, os 'bagrinhos', a 'milícia federal' nunca adotou qualquer medida contra os diretores da VALE e seus controladores estrangeiros, 'os tubarões' detém mais de 45% das ações da empresa (composição acionária da VALE), eles são os mentores e beneficiários dos crimes da mineradora, estão e ficarão impunes, apesar do MPMG tentar romper a proteção do governo Bolsonaro aos assassinos.

Marcha denuncia a impunidade

Na última segunda-feira (20), cerca de 350 moradores vítimas dos crimes da Vale em Brumadinho-MG iniciaram uma marcha (aqui-BdF) para denunciar a impunidade da inescrupulosa mineradora e o jogo de 'empurra' das autoridades brasileiras, a caminhada saiu de Belo Horizonte e durante seis dias percorrerá 300 km até a cidade de Brumadinho.

A depender de Moro e Bolsonaro, o porteiro que se cuide...

Os responsáveis pela 'chacina' de Brumadinho-MG, com seus 272 mortos, são reincidentes, basta lembrar Mariana-MG com seus 19 mortos (aqui - BdF), eles, os diretores da Vale, com assento no conselho administrativo da empresa, indicados na maior parte por acionistas estrangeiros, os 'tubarões' estão livres e gozando dos seus milhões, oriundos das suas participações nos vultosos lucros da empresa, mas a PF de Moro e Bolsonaro indiciou o 'porteiro'.


Marielle, Brumadinho e Mariana - os 'tubarões' livres, o 'porteiro' indiciado e sob ameaça

O que acontece com o crime da Vale, seja em Brumadinho ou Mariana, é o que ocorre na condução do caso Marielle Franco (aqui - BBC), o mesmo modus operandi das milícias estatais do governo Bolsonaro, elas abrem diversas investigações, uma para desacreditar a outra, todas com o mesmo objetivo: garantir a impunidade dos 'tubarões', dos mandantes que moram em condomínios luxuosos.

Ao final, os mandantes ficam livres e soltos, mas o 'porteiro' que ligou para a casa 58 do luxuoso condomínio, ele que mude a versão e cale a sua boca, caso contrário, será preso, delatado e condenado, nessa ordem, seguindo o roteiro da farsesca 'orcrim Lava Jato'.


segunda-feira, 20 de janeiro de 2020

Bolsonaro joga prefeituras em dificuldades com queda no FPM, perda de 8,45%

Bolsonaro coloca 5.570 em dificuldades com a queda no repasse de recursos




Leia também no Canal 2N - clique AQUI


Dos 5.570 municípios atualmente existentes no Brasil, Bolsonaro quer extinguir cerca de 769 deles, para isso já enviou uma Proposta de Emenda à Constituição para o Congresso Nacional - PEC 188/2019.

Antes de extinguir cerca de 13% dos municípios brasileiros, o governo Bolsonaro e a sua desastrosa administração vem colocando os 5.570 em sérias dificuldades financeiras, todos eles estão assistindo passivamente uma queda significativa no montante dos recursos que são repassados pela União, notadamente no Fundo de Participação dos Municípios - o FPM -  essencial para a sobrevivência da quase totalidade das cidades brasileiras.


Ano de eleições, prefeitos sem dinheiro




O estrago feito pelo governo Bolsonaro nas finanças do Brasil é assustador, o país vive a maior fuga de dólares e investidores dos últimos 38 anos (aqui), mas é nas cidades do interior do Brasil que a situação será mais dramática ainda, o que refletirá nas eleições de 2020, impondo grandes dificuldades na reeleição dos atuais prefeitos.

Os atuais gestores já sentem o drama, para ter idéia do rombo que se desenha para 2020, apenas na rubrica do FPM, é devastadora a queda nos dois decêndios de janeiro, comparando com o mesmo período do ano passado, a perda é cerca de 8,45% (aqui na CNM), muitos especialistas apontam que a receita total dos repasses cairá ainda mais, poderá passar de 20% neste ano.


Parauapebas também perde com Bolsonaro

O município de Parauapebas também perdeu no repasse do FPM, nos dois decêndios de janeiro/2020 caiu na conta o valor de R$ 3.947.167,66 sendo que no mesmo período de 2019 a cidade tinha recebido o montante de R$ 4.336.819,75.

O ano de 2020 mal começou, mas os danos provocados por Bolsonaro já deram seu cartão de visita, apenas no FPM, a perda do município de Parauapebas é R$ 389.652,09, uma receita 8,9% inferior a 2019, isso em valores nominais, sem considerar a inflação.  


Sorte tem quem acredita nela

O município de Parauapebas não sentirá tanto o impacto do desastre Bolsonaro  graças as medidas adotadas no começo do mandato do atual prefeito Darci Lermen, notadamente a sua atuação para que uma nova alíquota da CFEM fosse aprovada no Congresso Nacional (aqui) e o aumento que ele conseguiu na participação do município na 'Cota Parte de ICMS' (aqui).

Parauapebas, em 2017, teve a sua pior arrecadação na 'Cota Parte do ICMS', caso a situação herdada de Valmir da Integral e Jatene persistisse, a administração local estaria em sérias dificuldades.

Não fossem essas duas mudanças, Parauapebas estaria em situação dramática, não tem 'Brumadinho' (aqui) que modificasse o quadro de inviabilidade orçamentária da administração pública municipal.

sábado, 18 de janeiro de 2020

Não é apenas um retrato na parede - é o chefe do bando e seu "Prêmio Nazista de Artes"

Alvim e Goebbels só queriam agradar os instintos dos seus chefes criminosos, não se trata apenas de por o retrato na parede, é um culto ao 'mal', ao fascismo, ao nazismo, à cultura 'gospel-miliciana' 



O "Prêmio Nazista de Artes", encomendado por Bolsonaro ao seu secretário, é pura apologia e culto ao nazismo, na sua versão brasileira, ou seja, a cultura "gospel miliciana" sendo difundida com recursos públicos.

O Museu do Holocausto (aqui) e o PSOL (matéria segue abaixo) vão acionar o secretário do Bolsonaro, tentarão fazer com que o corrompido Ministério Público Federal processe o criminoso, a pergunta que fica é qual o motivo que não acionam o chefe dele, o do retrato na parede, o verdadeiro responsável pelo discurso e pelo "PRÊMIO NAZISTA DE ARTES".

Alvim apenas queria agradar ao seu chefe, lhe dando voz e cenário com fundo musical de Wagner.

_____________________________________
Alvim vai responder na Justiça por apologia e incitação ao crime, exige o PSOL

Mesmo exonerado, o ex-secretário da Cultura Roberto Alvim pode ter que responder na Justiça sobre o pronunciamento em que parafraseou o ministro da Propaganda da Alemanha Nazista, Joseph Goebbels. A Bancada do PSOL na Câmara dos Deputados entrará em com representação na Procuradoria Geral da República contra o secretário nacional de Cultura Roberto Alvim

Como amplamente noticiado, Alvim fez discurso sobre artes plagiando o ministro de propaganda da Alemanha nazista, Joseph Goebbels.

Para os deputados, ainda que exonerado, ele deve responder judicialmente por suas declarações.

O caso configura a prática de apologia ao crime (art. 287 do Código Penal) e incitação ao crime (art. 287 do Código Penal), assim como também se enquadra na lei de racismo, que pune a pratica e incitação a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional, inclusive a propaganda relacionada ao nazismo (art. 20 da lei nº 7716/1989).

O Supremo Tribunal Federal, inclusive, no caso Ellwanger, já reconheceu que a discriminação contra os judeus, que resulta do fundamento do núcleo do pensamento do Nazismo, é inconciliável com os padrões éticos e morais definidos na Constituição do Brasil e no mundo contemporâneo.

Desde a ascensão de Jair Bolsonaro à Presidência da República, a Constituição Federal vem sendo sistematicamente violada a partir de diversos episódios de censura a produções artísticas que valorizam a diversidade sexual, étnico-racial e cultural do país. Isso vem ocorrendo também a partir do desmonte da estrutura pública voltada ao fomento da arte, da cultura e do saber em suas diversas expressões.

sexta-feira, 17 de janeiro de 2020

Uma polícia que é um verdadeira 'gestapo', um PCC de farda - a PM de São Paulo

O Brasil, muito menos a justiça de SP, que  é cúmplice dos crimes, tem a mínima condição e vontade de combater essa verdadeira 'gestapo' dos trópicos, a PM, uma milícia fardada mais perigosa que o PCC, por isso, os seus comandantes, inclusive o governador Dória, devem ser denunciados no Tribunal Penal Internacional






"A Polícia Militar do Estado de São Paulo, comandada pelo governador João Doria (PSDB), agrediu manifestantes no terceiro ato contra o aumento no valor das tarifas do transporte público, puxado pelo MPL (Movimento Passe Livre) nesta quinta-feira (16/1). Os policiais puxaram uma manifestante pelos cabelos e outra pelo pescoço enquanto as prendiam na Praça da República, centro da cidade de São Paulo. A tropa ainda deteve ao menos 10 manifestantes, que foram liberados às 5h30 desta sexta-feira. Um PM registrou um boletim de ocorrência no 2º DP (Bom Retiro) contra o grupo por desobediência, resistência e lesão corporal, informou o MPL."


Leia a matéria completa aqui - PONTE

O nazismo tupiniquim tem um chefe, igual na Alemanha

Secretário da Cultura de Bolsonaro é exonerado após fala copiada de ministro de Hitler

A cultura 'gospel-miliciana' de Bolsonaro e seus apoiadores em nada difere do nazismo. Em 2020, não vote em charlatão e muito menos em miliciano

2020 é ano de eleições, observe na sua cidade quem apóia a cultura 'gospel-miliciana', é o velho nazismo tentando dominar nosso país e nossas cidades, repudie, não vote neles - eles são corruptos, são assassinos e ainda usam o nome de DEUS para acobertar seus crimes





quinta-feira, 16 de janeiro de 2020

Parauapebas/PA: Justiça mantém suspensa a operação 'tapa buraco'

O princípio da eficiência e os 'prós e contras' da operação tapa buraco em Parauapebas/PA




"PRÓS" buracos

O caro leitor não deve gostar de buraco, ninguém gosta, não 'estamos a falar' do jogo de cartas, muito menos de um jogo de cartas marcadas, o assunto em pauta é buraco em via pública, algo que não falta em Parauapebas.

Pois bem, se você não gosta de buraco, o povo do PROS gosta, pelo menos deve gostar de tapar buraco.

PROS é um partido presidido pelo Branco, o empreiteiro que resolveu virar político, a legenda preside a Câmara de Vereadores, é o principal partido da base aliada do governo municipal de Parauapebas.


40, 80, 90...

O número do PROS, o partido que tapa buracos, não é 40 e nem 80, é 90, mas isso nada tem com o assunto em pauta, qual seja, uma decisão judicial que confirma, por enquanto, a suspensão da operação 'tapa buraco' nas vias públicas de Parauapebas.

Eficiência 

Em nome da eficência, o governo de Parauapebas previa gastar algo 'próximo de R$ 40 milhões, e, em poucos meses, migrou para valores superiores a R$ 80 milhões', isso mesmo, na disputa entre os 'prós e contras' os 'prós' venceram e o valor saltou para mais de R$ 80 milhões. É a tal da eficiência. 

Ano eleitoral

Todos os anos a chuva caía e os buracos apareciam, como explicar que apenas no ano das eleições se pretende gastar mais de R$ 80 milhões com uma operação 'tapa buraco'?

Os 'prós' e os contras na ponta do lápis

Na decisão do juiz Lauro Fontes é fácil constatar que já no valor de R$ 40 milhões a eficiência caiu no 'buraco'. Quem sabe, a administração municipal de Parauapebas esclareça, na ponta do lápis, com eficiência, como chegou ao valor de R$ 80 milhões, basta responder o que a justiça pergunta: 









quarta-feira, 15 de janeiro de 2020

"A indústria da fé é um 'negócio' altamente lucrativo no Brasil", diz a Forbes

Os 'charlatões' são aliados do governo Bolsonaro e do crime


Leia também no Canal 2N - clique AQUI


Catedrais do ódio - Tabela de IPTU, valores em milhões (FOLHA)
 Fortuna dos 'charlatões' (Forbes)


Não é religião, é negócio criminoso

É mais fácil um camelo passar por um buraco de uma agulha que gente tipo Edir Macedo, Malafaia ou Feliciano entrar no céu.

No Brasil, todos sabem, menos a 'puliça' do Sérgio Moro, a principal renda das igrejas evangélicas neo-pentecostais vem do crime organizado, os pastores usam a atividade religiosa para lavar dinheiro até do PCC (aqui).

religião sempre foi um negócio rentável. E se acontecer de você ser um pregador evangélico brasileiro, as chances de ganhar na loteria celestial são realmente muito altas hoje em dia”, dizia trecho da matéria da Forbes publicada ainda em 2013 (leia aqui), de lá pra cá a máfia do mercado da fé só cresce.

A reportagem é 2013,  no Brasil de hoje o 'céu' ficou pequeno e não cabe a ambição do fundamentalismo religioso e dos mercadores da fé, o país virou um "bezerro de ouro" para os filhotes de Herodes e Caifás, no governo Bolsonaro a cultura "gospel-miliciana' tem livre arbítrio.

Evidente, a fortuna dos pastores neo-pentecostais nada tem de celestial, a maior parte é produto de crimes, a extorsão dissimulada na forma de dízimo, que vitimiza pessoas incautas e desesperadas, é apenas para lavar o dinheiro de origem ilícita, proveniente do tráfico, da corrupção na política e das milícias. 


Os 'charlatões' tem partido político 

Em Portugal, a extorsão dissimulada na forma de 'dízimo' está sendo investigada pela polícia, depois que 3 pastores foram presos por suspeita de tráfico de mulheres e crianças (aqui -RTP), já no Brasil eles tem até partido político com uma grande bancada parlamentar atuando para garantir a impunidade dos seus crimes e conquistar uma ampla imunidade tributária para os seus negócios ilícitos. 

Dinheiro é o "deus" deles


Ao invés de colocar a polícia no encalços dos 'charlatões' e investigar as ligações das igrejas evangélicas neo-pentecostais com o tráfico e o mundo do crime organizado, Bolsonaro quer é pagar a conta de energia das catedrais do ódio, mas não com o dinheiro deles ou da rachadinha do Queiroz, a conta vai é para o lombo do povo, das ovelhas.


A culpa não, mas a conta será

A culpa pode até não ser tua, mas a 'conta de luz' das catedrais do ódio será.

O chefe do ministério de Minas e Energia, Bento Albuquerque, já incorporou a gula dos 'charlatões', o segundo ele o subsídio para os fundamentalistas neo-pentecostais custará 'apenas' R$ 30 milhões, perceptível que lhe falta dignidade e senso de justiça (leia na Agência Reuters).

No Brasil, os charlatões tem vida de Ali-Babá, não pagam IPTU das suas babelescas igrejas, nem IPVA dos seus luxuosos carros e muito menos dos seus jatinhos e helicópteros, querem ficar sem pagar a conta de energia.


Jesus nunca entraria na catedral do ódio de Edir Macedo, muito menos de helicóptero

Malas no 'Templo de Salomão' - clique AQUI


Jesus jamais entraria na catedral do ódio de Edir Macedo, muito menos apoiaria a gana por dinheiro que essa gente prega sem o menor pudor. Jesus, não! Bolsonaro, sim! 


Malafaia, o odiento dizimista diz que só tem 3%

A divulgação de que Malafaia era um dos mais ricos gerou protesto do "filhote de Caifás", a Forbes não aguentou a pressão e emitiu uma nota desvergonhada, a partir de dados fornecidos pelo "odiento pastor", ele afirma ter apenas 3% da fortuna divulgada (aqui), há quem acredite.

A revista Forbes, com receio do governo de milícias que dominou o Brasil, nunca mais tocou no assunto da fortuna dos "pastores do ódio".