sábado, 29 de fevereiro de 2020

Léo Mendes: Política em Parauapebas. Polarização. Amotinados da PM



A consolidação de uma eventual polarização na disputa eleitoral pela prefeitura de Parauapebas. A ausência da juventude nas eleições de outubro no município paraense. Os amotinados do Ceará, a reação de Cid Gomes contra a violação da ordem democrática pelos milicianos da PM.

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2020

Professor Léo Mendes analisa as últimas notícias de Brasília


Aliados de Darci Lermen brigam na justiça contra a licitação do PROSAP

Empresa aliada do prefeito Darci barra o PROSAP na justiça 





Prosap é barrado por empesa aliada de Darci

A Vara da Fazenda Pública de Parauapebas suspendeu o polêmico Prosap, a ironia é que foi uma empreiteira muito ligada ao próprio governo Darci Lermen que acionou e barrou o início do Programa de Saneamento Ambiental, Macrodrenagem e Recuperação de Igarapés e Margens do Rio Parauapebas (Prosap), a 'fanfarra' estava programada para iniciar no próximo dia 3 de março.

Sem voz e sem comando no seu próprio governo o prefeito Darci Lermen conseguiu transformar o que seria um programa de saneamento num esgoto de ilegalidades.

Sem capacidade técnica

As irregularidades no Prosap são tão evidentes que a empresa vencedora para realizar as obras nem sequer conseguiu comprovar sua capacidade técnica, cuja validade do seu atestado não foi aceito e causou a suspensão do início das supostas obras pela justiça.

Isso mesmo, Darci Lermen quer entregar as obras do que diz ser o seu principal projeto para uma empreiteira sem a capacidade técnica comprovada, conforme questionada em mandado de segurança, apenas isso já revela a irresponsabilidade e falta de seriedade do atual governo de Parauapebas.

Veja a imagem de parte da decisão da Justiça para suspender o PROSAP:

PROSAP: empresa vencedora não comprova capacidade técnica


Irresponsabilidade

O prefeito e seu governo atuam sem a menor seriedade, anunciaram o início das supostas obras do PROSAP mesmo sabendo que várias licitações e procedimentos essenciais para a regularidade do programa ainda estavam em andamento, o resultado é previsível e a realidade bate à porta do governo e do próprio prefeito.

Difícil entender

Está difícil entender o que levou umas das mais aquinhoadas e preferidas empreiteiras do prefeito Darci Lermen, perdendo apenas para a WHITE TRATORES, ir à justiça denunciar o próprio governo Darci Lermen e barrar o PROSAP, a última esperança do prefeito em tentar reverter sua altíssima rejeição junto à população de Parauapebas.

Fica claro, Darci Lermen não tem autoridade e nem voz de comando sobre a SEFAZ, a SEMOB, a SAAEP, etc.

Sem autoridade, Darci é um passivo

O Prosap é vítima da falta de autoridade de Darci Lermen, um sujeito passivo que assiste sem qualquer reação as brigas internas entre os seus aliados mais íntimos, tudo evidencia que o fim da atual gestão Darci Lermen será melancólico.

Culpa os outros e ainda usa suas redes de 'fakenews'





Vendo o fracasso da sua gestão e da sua obsessão eleitoral, Darci Lermen e sua rede de 'fakenews' espalham mentiras pela cidade, culpando a oposição pela suspensão do PROSAP, quando na verdade foi uma empreiteira com vários contratos no governo do município que acionou a justiça e barrou o Prosap, ou seja, o prefeito ao invés de corrigir os seus erros e malfeitos prefere espalhar mentiras, sempre culpando os outros.

Com a correta decisão judicial está ficando claro que o PROSAP está fadado ao fracasso, uma 'fakenews'.

Rifado

O que parece claro é que Darci Lermen pode está sendo fritado pelos seus aliados, são tantas ilegalidades que uma eventual candidatura à releição terá muitas dificuldades de registro para as eleições municipais, sem falar da rejeição ao nome do prefeito que cresce a cada dia.

#DARCIPARADEMENTIR

Brás Cubas, em suas memórias póstumas, diz que a sinceridade é a qualidade primeira de um defunto, o autor Machado de Assis não conheceu Darci Lermen e as suas mentiras.

Resta perguntar se Darci mente em casa do mesmo jeito que mente na rua. Será que ele mente assim para os seus filhos e esposa como mente para a população de Parauapebas?

Só resta pedir: #DARCIPARADEMENTIR

_____________________________________________________

A prefeitura de Parauapebas emitiu uma nota que mais se assemelha a uma 'anedota"

A Prefeitura de Parauapebas deixa claro que o referido processo licitatório adotou como regramento a Política para Aquisição de Bens e Contratação de Obras financiadas pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) GN-2349-9. E ressalta que tanto o processo licitatório quanto a assinatura do contrato com a empresa tiveram o aval do BID e do Tribunal de Contas dos Municípios do Estado do Pará (TCM-PA). 

No dia 14 deste mês, a Prefeitura de Parauapebas foi notificada pela Justiça a respeito desse mandado de segurança e recebeu o prazo de 72 horas para se manifestar. Em sua resposta, que ocorreu dentro do prazo, o governo municipal apresentou provas que confirmam a lisura do processo licitatório, bem como argumentou sobre os motivos da desclassificação da JM Terraplanagem e Construções LTDA no certame. (Leia AQUI)

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2020

Justiça deu prazo de 72 horas para Darci Lermen explicar 'doações ilegais"



72 horas para explicar

No último dia 19 de fevereiro, em sede de Ação Popular, o juiz LAURO FONTES JÚNIOR determinou que o prefeito de Parauapebas Darci Lermen explique várias doações de imóveis realizadas pela sua administração, a suspeita é que os atos podem ter motivações eleitorais.

As doações poderão ser canceladas pela justiça e os envolvidos responsabilizados, inclusive o próprio prefeito, que no mínimo tem o dever de fiscalizar os atos dos seus subalternos.

“(...) o cancelamento de emissão de títulos de áreas em nome de terceiros, assim como títulos carentes de informações necessárias que resguardem o erário Público e sejam servíveis ao cartório para averbações.” De fato, foi sugerido irregularidades na doação de imóveis por parte do município. Foi demonstrado, por amostragem (vide eventos n. 15596150 - Pág. 1 e n. 15596151 - Pág. 1), que dois imóveis teriam sido doados a munícipes, o que teria sido feito com base na Lei 4.426/10. Embora o artigo 1º desta lei se refira à financiamento pela Secretaria Municipal de Habitação, trouxe-se a informação de que empresa privada estaria fazendo essa doação, inclusive em desconformidade com a motivação exigida pela referida lei municipal. " (trecho da decisão judicial no Processo n° 0801514-67.2020.8.14.0040 Classe: AÇÃO POPULAR Órgão julgador: Fazenda Pública de Execução Fiscal da Comarca de Parauapebas)

Esquema criminoso


O prefeito de Parauapebas, Darci Lermen, está colocando sua obsessão eleitoral acima de tudo, ele quer conseguir mais 4 anos de mandato.

Darci Lermen deixou o seu governo ser dominado por uma verdadeira 'organização malinosa', o esquema criminoso da Secretaria de Obras, com o seu 'caçambão da Semob', chegou na secretaria de habitação, a gula dos malfeitores já mira R$ 60 milhões para comprar 2 mil lotes de um loteamento da cidade, tudo de olho no pleito de outubro e no recebimento de propina, uma verdadeira quadrilha eleitoral, obviamente, a justiça deverá ser acionada para barrar esse bando de malinos.

O sombra pensa longe

É tanta 'malinação' no governo, sem sombra de dúvidas, o prefeito de Parauapebas pode não conseguirá registrar a sua candidatura, sabendo disso, o sombra, um dos chefes da 'organização malinosa' do governo Darci Lermen, já articula para ser vice ou quem sabe convencer o prefeito a nem ser candidato, assim ficaria livre para bancar um outro nome, cuja candidatura tenha um financiamento mais barato, quem sabe a do ex-prefeito da cidade.

terça-feira, 25 de fevereiro de 2020

Análise da Pesquisa Eleitoral de Parauapebas - Parte Final




Léo Mendes, Lindolfo Mendes e Sinvaldo Braga analisam a primeira pesquisa eleitoral para a prefeitura de Parauapebas/PA. O Instituto Destak foi o responsável pela coleta dos dados (pesquisa está registrada no TRE sob o nº PA-06809/2020) realizada no período entre 14 a 18 de fevereiro de 2020, com 600 entrevistas aplicadas nas zonas rural e urbana do município. A margem de erro da pesquisa é de 3,5 pontos percentuais para mais ou para menos. A pesquisa foi publicada com exclusividade pelo Blog do Zé Dudu (consulte AQUI).

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2020

Análise Pesquisa Eleitoral: Parauapebas - Fechamento



Léo Mendes, Lindolfo Mendes e Sinvaldo Braga analisam a primeira pesquisa eleitoral para a prefeitura de Parauapebas/PA. O Instituto Destak foi o responsável pela coleta dos dados (pesquisa está registrada no TRE sob o nº PA-06809/2020) realizada no período entre 14 a 18 de fevereiro de 2020, com 600 entrevistas aplicadas nas zonas rural e urbana do município. A margem de erro da pesquisa é de 3,5 pontos percentuais para mais ou para menos. A pesquisa foi publicada com exclusividade pelo Blog do Zé Dudu (consulte AQUI).

Análise Pesquisa Eleitoral para Prefeito de Parauapebas - Segunda Parte




Léo Mendes, Lindolfo Mendes e Sinvaldo Braga analisam a primeira pesquisa eleitoral para a prefeitura de Parauapebas/PA. O Instituto Destak foi o responsável pela coleta dos dados (pesquisa está registrada no TRE sob o nº PA-06809/2020) realizada no período entre 14 a 18 de fevereiro de 2020, com 600 entrevistas aplicadas nas zonas rural e urbana do município. A margem de erro da pesquisa é de 3,5 pontos percentuais para mais ou para menos. A pesquisa foi publicada com exclusividade pelo Blog do Zé Dudu (consulte AQUI).

ELEIÇÕES 2020: Primeira pesquisa eleitoral para prefeito de Parauapebas/...




Léo Mendes, Lindolfo Mendes e Sinvaldo Braga analisam a primeira pesquisa eleitoral para a prefeitura de Parauapebas/PA. O Instituto Destak foi o responsável pela coleta dos dados (pesquisa está registrada no TRE sob o nº PA-06809/2020) realizada no período entre 14 a 18 de fevereiro de 2020, com 600 entrevistas aplicadas nas zonas rural e urbana do município. A margem de erro da pesquisa é de 3,5 pontos percentuais para mais ou para menos. A pesquisa foi publicada com exclusividade pelo Blog do Zé Dudu (consulte AQUI).


quinta-feira, 20 de fevereiro de 2020

Documentos do BID contrariam discurso do prefeito Darci Lermen

Obsessão eleitoral de Darci Lermen contamina a equipe técnica do PROSAP, pode atropelar etapas e violar as condições impostas pelo BID




Documentos do BID contrariam governo de Parauapebas

A Resolução 112/19 (aqui-BID) foi emitida em 27 de novembro de 2019, pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), é o documento que autoriza o seu representante a assinar os contratos com o município de Parauapebas, referente ao Projeto de Saneamento Ambiental, Macrodrenagem e Recuperação para os Igarapés e Margens do Rio Parauapebas, apelidado de PROSAP pelo governo Darci Lermen .

A partir da data da Resolução 112/19, 27 de novembro de 2019, um longo caminho será percorrido, o calendário do BID é outro, não está em sintonia com a obsessão eleitoral de Darci Lermen.

Licitação nem foi concluída

As atitudes do governo Darci Lermen estão viciadas pelo seu desejo de reeleição, Darci já tem 12 anos de mandato concedido pelo povo de Parauapebas, não está satisfeito e quer mais 4 anos a qualquer custo.

Uma etapa essencial para a execução do Projeto é a contratação da empresa de consultoria responsável em fiscalizar a obra, acompanhando e supervisionando cada etapa, inclusive estabelecendo padrões para verificação da correta realização do objeto contratado.

Pois bem, hoje, dia 20/02/2020, até às 14:00, as empresas interessadas podem apresentar suas propostas.

"A Consultora deverá executar diretamente os seguintes serviços: (i) esclarecimentos à Construtora quanto ao projeto de engenharia; (ii) acompanhamento da execução de cada etapa da obra, supervisionando os serviços executados, a exploração de empréstimo e pedreiras; (iii) liberação de cada etapa da obra, mediante aval da equipe técnica da UEP; (iv) solução de problemas construtivos imprevistos surgidos; (v) acompanhamento e/ou execução de ensaios tecnológicos, estabelecendo padrões para verificação daqueles realizados pela Construtora; (vi) acompanhamento do atendimento às condicionantes da Licença Ambiental de Instalação emitida pelo órgão Ambiental; e (vii) acompanhamento da execução de controle geométrico e verificação dos levantamentos feitos pela Construtora para elaboração da medição. São atividades a serem desenvolvidas pela consultora contratada para a Supervisão das Obras do Programa as descritas a seguir: (i) coordenação geral da consultora contratada; (ii) supervisão técnica, acompanhamento e controle; (iii) vistoria cautelar de vizinhança; e (iv) supervisão socioambiental." (Leia aqui no BID - documento oficial)

Os 'devaneios' do prefeito podem contaminar e viciar a equipe técnica encarregada do projeto, mesmo sem cumprir condições exigidas pelo BID, prefeito atropela o calendário e anuncia inícios das 'supostas obras'.

Equipe técnica não é cabo eleitoral do prefeito Darci Lermen

A equipe técnica deve ter responsabilidade e manter distância da 'obsessão eleitoral' de Darci Lermen, sob pena de prejudicar e inviabilizar o PROSAP, ao assumir e tentar justificar as 'mentiras' do prefeito, a equipe técnica poderá ser denunciada ao Banco e ter a qualidade do seu trabalho posto em dúvida pela aquela instituição.

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2020

PROSAP: Ordem de serviço do Banco Mundial é 'fakenews' do governo Darci Lermen

Prefeito de Parauapebas é pego na mentira sobre BID e BNDES




Mentiras do governo Darci Lermen coloca PROSAP em descrédito e ameaça a liberação dos recursos pelo BID

A alta rejeição de Darci Lermen e os baixos índices de intenções de votos tem tirado o chão e o sono do chefe do executivo de Parauapebas. O prefeito perdeu a noção e o senso de realidade, transformou a máquina municipal numa rede pública de criar e espalhar 'fakenews', basta ver o que tem ocorrido com as supostas obras do PROSAP, antes diziam que era do Banco Mundial, o projeto é na verdade junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e tem o seguinte número: BR-L1508 (aqui - no BID).

Não é o Banco Mundial

O governo de Parauapebas divulgava que era do Banco Mundial, quem inicialmente acreditou nisso, inclusive o Blog Sol do Carajás, caiu numa mentira, mas a farsa foi desvendada diretamente pela instituição financeira, via e-mail, informando que não existe qualquer projeto em análise do município de Parauapebas naquele banco.

É mentira

Agora, Darci Lermen inventou uma 'ordem de serviço' do BID, nem o processo licitatório para a escolha da consultoria para fiscalizar a execução do projeto foi finalizado, amanhã (20), é p o prazo final para das propostas, mas o prefeito já parece saber o resultado, diz que no dia 28 iniciará as 'supostas obras'.

O prefeito tem tanta certeza que não terá dinheiro do BID que já nem se importa em iniciar as 'supostas obras' antes mesmo de cumprir as exigências do banco.

É $ 70 milhões

Outra mentira espalhada pelo próprio prefeito da cidade, Darci Lermen, no seu pronunciamento na Câmara de Vereadores, no último dia 15, é que seriam $ 85 milhões investidos, na verdade seriam $70 milhões, o prefeito se acostumou tanto a mentir que mesmo diante de algo substancial ele tem a necessidade de aumentar a 'estória'. Não há contrapartida no projeto aprovado pelo BID, Darci é que deseja gastar o dinheiro do município de qualquer jeito, veja a imagem (no alto) e consulte você mesmo.




Não basta mentir, tem que mentir pra valer

O PROSAP era uma iniciativa importante, merecia apoio, mas foi transformada em desesperada propaganda eleitoral, Darci quer mudar a sua alta rejeição, a sua obsessão em conseguir mais 4 anos de mandato está fazendo ele sair dos trilhos, os 12 anos que já conquistou parece não ter lhe bastado e nem lhe ensinado a respeitar a população de Parauapebas.

É tanta mentira, até uma pesquisa eleitoral apareceu na cidade, mostrando um empate entre o DARCI e VALMIR, o ex-prefeito. Quem anda pelas ruas de Parauapebas estranhou bastante os números divulgados.

Saiba mais sobre o BID 

O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) é de propriedade dos seus 47 países membros, o poder de voto de cada um pode ser  consultado aqui.


Vereador vira 'bicho feroz' contra a falta d'água em Parauapebas, mas contra a organização malinosa ele muda de voz

Vídeo circula mostrando a indignação do vereador Parceirinho contra a falta d'água em Parauapebas




Bicho feroz

O vereador Parceirinho tem toda razão em ficar um 'bicho feroz' contra o governo e a SAAEP, a autarquia gasta uma fortuna com locação de máquinas e outras 'malinações', mas não coloca uma gota d'água nas torneiras dos moradores da cidade mais rica do Pará, a falta d'água é uma aflição que parecia coisa do passado.

Muda de voz diante da organização malinosa

O problema é que o governo tem um tripé operacional, formado por Darci Lermen, Keniston Braga e Branco da White (empresário amigo e financiador de campanha), não adianta o vereador Parceirinho mudar a voz quando fica na frente do 'tripé' operacional da organização malinosa.

O 'caçambão da semob' garante o abastecimento

O problema é que a organização malinosa que esvazia os cofres públicos de Parauapebas é a mesma que seca as torneiras dos seus moradores.

A fonte é outra 

O que se comenta em todos os cantos da cidade é que a água que sacia a sede dos vereadores de Parauapebas não chega nas suas casas pelas torneiras, mas através de um 'caçambão da semob', o equipamento misterioso passaria duas vezes ao mês na porta de cada vereador, assim o abastecimento está garantido e ninguém passa perrengue, muito menos sede.

'Caçambão da semob', a organização malinosa já chegou na SAAEP

A falta d'água em Parauapebas não é de hoje, mas agora ganha contornos de organização malinosa igual a que foi montada na secretaria de obras, pelo jeito, a mesma 'trupe' também está na SAAEP, com o mesmo esquema de locação de máquinas.

Para os vereadores o abastecimento está garantido, mas para os moradores a falta d'água e a organização malinosa que opera o 'caçambão da semob' tem tudo a ver.

terça-feira, 18 de fevereiro de 2020

Sessão é marcada por buracos, perrengue, bajulação e pela 'oração do caçambão da Semob'




Sessão da vergonha

A vergonhosa sessão de abertura dos trabalhos da Câmara de Vereadores de Parauapebas mostrou que a Casa é uma extensão da prefeitura municipal, os parlamentares, sem a menor dignidade,  mais pareciam 15 ovelhas diante de um lobo, para sacramentar a bajulação o final  da sessão circense  fechou com uma cena patética, um ridículo 'pastor'  fazendo a 'oração do caçambão', Parauapebas não merece tanta falta de vergonha, a situação está pior que no período do mensalão no governo anterior.

Buraco, perrengue e falta de vergonha


Basta assistir o chefe do legislativo, Luiz Castilho, para se constatar que os buracos e o 'caçambão da Semob' abalou a Câmara de Parauapebas, é o assunto dos bastidores, Castilho é um ex-empregado da White Tratores, eleito vereador no PROS, partido controlado pelo seu 'ex-patrão', com um discurso vazio, marcado pela bajulação à secretaria de obras, o vereador ao tentar falar a palavra 'casamento' ficou engasgado na pronúncia de 'caminhão', um lapso que Sigmund Freud explica muito bem.

Ficou claro, a partir do que falou cada vereador,  que a 'casa do mensalão' está de boca aberta para o "caçambão da Semob".

Quésia Lustosa, a Procuradora Geral de Parauapebas, pode cair por causa do 'caçambão da semob'




'Caçambão da Semob' começa a soterrar cúpula do governo Darci Lermen

Não se tem notícias de que o Ministério Público do Pará já tenha aberto algum procedimento para investigar a escandalosa contratação da White Tratores pelo governo de Parauapebas, quando a secretaria de obras (SEMOB), nos últimos 3 anos, despejou mais de R$ 143 milhões na conta do empresa de propriedade do amigo e financiador de campanha do prefeito Darci Lermen.

Mistério Público no 'caçambão da Semob'

Os Promotores de Justiça do MP que atuam em Parauapebas não estão curiosos para saber quantos equipamentos de fato a White Tratores teria fornecido para a SEMOB: foram 260 caminhões, sendo 200 caçambas, na cidade, todos desconfiam que isso é apenas mais uma grande 'esculhambação'.

Saindo, não devia ter sequer entrado

O que já se comenta é que a Procuradora Quésia Lustosa já estaria demissionária, seria o 'caçambão da Semob' começando a soterrar a cúpula do governo de Parauapebas.

Quésia Lustosa é uma procuradora que precisa ser estudada pela NASA, basta ver a qualidade dos 'pareceres' da PGM de Parauapebas, ela nasceu e cresceu sobre a sombra de Hernandes Margalho, um verdadeiro sombra que ninguém sabe por onde anda.

Agora, Quésia pode sair de um lugar onde nunca deveria ter entrado.


Caçambão para vereador é na porta de casa

Mensalão é para os fracos, o que se comenta é que cada vereador de Parauapebas tem o seu 'caçambão' duas vezes por mês na porta de casa.

Será que cada procurador de Parauapebas também tem um 'caçambão' pra chamar de seu?

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2020

Em meio ao "caçambão da semob" Darci Lermen vai à Câmara de Parauapebas

Pensando nas eleições, Darci Lermen finalmente apareceu na Câmara de Vereadores




Depois de ausente por anos, Darci Lermen foi à Câmara pensando na eleição

É a primeira vez que Darci Lermen comparece a abertura dos trabalhos da Câmara de Parauapebas desde a sua posse.

Darci Lermen aproveitou o palco para iniciar a sua campanha para a reeleição, usou a tribuna da Câmara de Vereadores, seu discurso mostrou qual será a sua agenda eleitoral na tentativa de convencer o cidadão de Parauapebas a lhe conceder mais 4 anos na chefia do executivo local.

12 anos, Parauapebas cansou

Em 2020, Darci Lermen completará 12 anos governando Parauapebas, pretende ganhar mais 4 anos em outubro.

Caçambão da Semob e os buracos

A retórica do prefeito é a de um político profissional, tenta culpar os 'outros' pelos seus buracos, para ele o  judiciário e uma imaginária oposição impediram o seu governo de administrar a cidade ou de aplicar corretamente os recursos públicos, algo sem fundamento, pois Darci Lermen e a secretaria de obras gastaram muito e gastaram mal, foram mais de R$ 250 milhões carregados pelo "caçambão da Semob" e buracos,  o dinheiro se foi e as obras não apareceram.

Ilegalidades sem fim, o buraco não tem fundo

A 'operação tapa buraco' enfrentou sérias dificuldades na justiça, fazendo o governo Darci Lermen recuar de um preço de cerca de R$ 80 milhões para R$ 23 milhões, isso já diz muito do caráter perdulário do governo local.

260 caminhões, 200 caçambas, locados de apenas uma empresa, da propriedade de um amigo, um empresário que também é político, que controla a Câmara de Vereadores, através de um ex-empregado, algo que por si já indica que Parauapebas está indo para o buraco, a gravidade que envolve as denúncias contra a White Tratores e a secretaria de obras, no escândalo do  "caçambão da Semob' é um lamançal.

Mentiras e meias verdades, fakenews

Sobre saneamento e Prosap, mais uma vez Darci Lermen manipula as palavras, não fosse um estilo que Parauapebas já conhece por longos 11 anos de governo, passaria em 'branco'.

Darci é um profissional da política, tenta propagandear que o Banco Mundial emitiu uma ordem de serviço para o PROSAP, mas não diz onde está o dinheiro do 'empréstimo'. Sobre o BNDES, o prefeito, nesse início do seu 12° ano à frente da prefeitura, também discursa fora da realidade, não mostra onde esse banco colocou algum centavo em Parauapebas.

Dessa maneira, com pura retórica, palavras ao vento, será difícil Darci Lermen convencer a população e lhe conceder mais 4 anos no cargo de prefeito.

Gira renda é ilegal e pode barrar a candidatura de Darci Lermen

Outro assunto que embalou o discurso eleitoral do prefeito foi o 'gira renda', mas Darci Lermen esqueceu de apontar que o programa está repleto de ilegalidades, podendo inclusive provocar a impugnação de uma eventual candidatura sua à reeleição em outubro.

Uma Câmara sem vergonha

A sessão de abertura da Câmara foi simplesmente uma vergonha, os vereadores pareciam 15 ovelhas diante de um lobo, ao final o circo foi encerrado por uma cena patética, um ridículo 'pastor'  fazendo a 'oração do caçambão', Parauapebas não merece tanta falta de vergonha, a situação está pior que no período do mensalão no governo anterior.

Ficou claro, a partir do que falou cada vereador,  que a 'casa do mensalão' está de portas fechadas para a sociedade e de boca aberta para o "caçambão da Semob".

sábado, 15 de fevereiro de 2020

Gira Renda virou 'gira voto' e pode barrar a candidatura de Darci Lermen nas eleições de 2020

Uso eleitoral do 'gira renda' pode impugnar uma eventual candidatura de Darci Lermen à reeleição





Gira renda ou 'gira voto'

A imagem da fila do 'gira renda' é impressionante, mas não é coincidência que tenha aparecido apenas em 2020, ano de eleições municipais.

Darci Lermen deixou para lançar o 'gira renda' nos últimos dias de 2019, criando problemas legais para o programa e para a sua eventual candidatura à reeleição, devido ao calendário utilizado pelo governo de Parauapebas, o programa já está sendo apelidado de 'gira voto do Darci'.

O direito eleitoral proíbe

Especialistas em direito eleitoral informaram ao Blog Sol do Carajás que a situação jurídica do 'gira renda' estaria violando a legislação, pois as normas e a  jurisprudência que regem o tema são inequívocas, ambas proíbem a distribuição gratuita de bens, valores ou benefícios pela Administração Pública no ano de eleições. 

Algumas exceções 

A regra geral é a proibição, salvo algumas situações bem específicas,  podendo ser citado o caso de calamidade ou emergência pública, como uma enchente, o rompimento de uma barragem, provocando inundações e desabrigando as famílias de suas casas, quando o poder público teria que ir ao socorro dos atingidos, distribuindo comida, camas, oferecendo abrigo ou mesmo ajuda como o 'aluguel social'.

Jatene teve problemas e foi cassado

O gira renda em Parauapebas nem começou de fato, mas já é apelidado do 'gira voto do Darci', seu uso eleitoreiro é muito mais escancarado que a situação do cheque moradia do governador Jatene, neste caso o programa já estava implementado em anos anteriores, ocorrendo um aumento exponencial da liberação de recursos e sua distribuição no período eleitoral, conforme denunciou o Ministério Público do Pará: 


"...houve um aumento exponencial nos valores destinados ao auxílio social. Em julho, diz o órgão, foram destinados R$ 4 milhões ao programa, enquanto em agosto esse valor aumentou para R$ 15 milhões, chegando a R$ 31 milhões em setembro e caindo novamente em outubro para R$ 10 milhões".(aqui-Conjur)


Gira renda apareceu no ano eleitoral

O gira renda não chegou a ser implementado de fato em 2019, apenas formalmente, na realidade está sendo executado mesmo só em 2020 e foi acelerado pelo governo municipal, caraterizando uma situação que causará muitos problemas jurídicos para uma candidatura do atual prefeito Darci Lermen.

O caso Darci Lermen

O caso Darci Lermen e seu 'gira voto' tem graves problemas legais que podem barrar a sua candidatura em 2020, quando deve tentar a reeleição para a prefeitura de Parauapebas. O 'gira renda' foi criado no apagar das luzes de 2019, para ter idéia, a cerimônia de entrega dos cartões foi realizada pelo governo municipal apenas no dia 27 de dezembro, na última sexta-feira do ano, a notícia só foi publicada pelo site oficial da prefeitura no dia 31, último dia de 2019 (ASCOM - aqui).

A verdade: era péssimo e ficou pior

É verdade, Darci Lermen encontrou o município de Parauapebas em situação de caos administrativo e financeiro, também é verdade que teve papel importante na recuperação do orçamento da cidade, principalmente pelas mudanças no cálculo e alíquota da CFEM e na Cota Parte do ICMS, mas é fato que em matéria de gestão e descontrole dos gastos públicos, refletindo as escolhas de prioridades de Darci Lermen, o que era era péssimo ficou ainda pior.

Não explica, só complica

As 'dificuldades financeiras' da prefeitura de Parauapebas, no começo do governo, eram inquestionáveis, mas como sustentar que para o 'caçambão da Semob' da White Tratores (aqui), no mesmo período, nunca faltou recursos?

O município desembolsou mais de R$ 143 milhões para a empresa do amigo do prefeito e financiador de campanha, no mesmo período em que a prefeitura 'passava por dificuldades', ou seja, para as pessoas pobres e carentes não tinha dinheiro, mas para o 'dono' de um partido político da base do governo Darci Lermen os cofres estavam cheios.

Leia abaixo e entenda o motivo da  eventual candidatura Darci Lermen correr risco de impugnação


 "A regra é a proibição da distribuição. Assim, em ano eleitoral, a Administração Pública só pode distribuir gratuitamente bens, valores ou benefícios se ocorrer alguma das hipóteses legais especificadas, a saber: calamidade pública, estado de emergência ou existência de programas sociais autorizados em lei e já em execução orçamentária no exercício anterior. As duas primeiras devem ser demonstradas. A última, pressupõe a existência de política pública específica, em execução desde o exercício anterior, ou seja, já antes do ano eleitoral. Quer-se evitar a manipulação dos eleitores pelo uso de programas oportunistas, que, apenas para atender circunstâncias políticas do momento, lançam mão do infortúnio alheio como tática deplorável para obtenção de sucesso nas urnas." (aqui - clique)

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2020

Ação judicial fez preço da 'operação tapa buraco' cair de R$ 82 milhões para R$ 23 milhões

Com indícios de falcatruas, governo é desmascarado e recua no preço




Darci Lermen, acuado pela justiça, recua

Imagine algo que era R$ 42 milhões e de um dia para o outro aumentou para R$ 80 milhões, pois acredite, nem 40 e nem 80, agora ficou em R$ 23 milhões, isso mesmo, acuado pela justiça de um lado e pelos 'malinos do erário' do outro, o governo Darci Lermen se curvou para o judiciário e teve que diminuir o preço da famigerada operação tapa buraco, segundo as informações iniciais, a empresa que saiu vencedora da tumultuada licitação será contratada por um valor que custará cerca de R$ 60 milhões a menos do que o governo Darci Lermen já tinha acertado com alguns 'empreiteiros' bons de campanha.

Gratidão

Os advogados que impetraram o Mandado de Segurança contra as 'falcatruas' da 'operação tapa buraco' do governo Darci Lermen fizeram o povo de Parauapebas economizar cerca de R$ 60 milhões, a população agradece.

Pode?

A perguntar que não quer calar: quem iria abocanhar esses R$ 60 milhões?

Como diria o Galvão: pode isso, Arnaldo? 

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2020

Governo Darci Lermen transforma PROSAP em 'fakenews'

O que era pra ser uma obra séria virou apenas 'fakenews' eleitoral



PROSAP agoniza nas mentiras do governo Darci Lermen

Governo usa 'robôs' nas redes sociais de Parauapebas para requentar notícias sobre o PROSAP, o projeto até que iniciou seriamente, bem elaborado e necessário para o município, mas virou 'fakenews' e foi transformado numa rede de mentiras com viés eleitoreiro pela gestão Darci Lermen.

Agora vai, mas só nas redes sociais e nas 'fakenews'

O governo assina contrato, anuncia a liberação de licenças ambientais e faz um estardalhaço, mas de fato nada sai do papel e das 'fakenews', na realidade do dia a dia da cidade nada muda, o governo não indeniza os moradores e proprietários das áreas envolvidas, não coloca um saco de cimento nas supostas obras, o PROSAP vive do 'vai começar' do 'agora vai', mas nunca sai do papel e se depender de dinheiro do BID, não sairá tão cedo.

Não inaugura nem pedra fundamental

No dia 25 de outubro de 2019, Darci Lermen reuniu sua 'trupe' para comemorar a assinatura do contrato de início das supostas obras do Programa de Saneamento Ambiental, Macrodrenagem e Recuperação de Igarapés e Margens do Rio Parauapebas (Prosap), era tudo 'fakenews', até hoje nem uma 'pedra fundamental' o governo conseguiu inaugurar.

Leia o que a imprensa oficial noticiou na data do evento:


"A Trans Vias Construções foi a ganhadora do processo licitatório para a execução das obras da 1º etapa do Prosap. Guilherme Lourenço, representante da empresa, esteve presente no evento e garantiu que a partir de semana que vem começa a mobilização para o início das obras, que está programado para o começo de novembro.  
Na abertura do evento, foi apresentado um vídeo com a projeção de como ficará a obra da 1º etapa, compreendendo a revitalização de 2.400 metros do Igarapé Ilha do Coco com serviços de macrodrenagem; implantação de 7.000 metros de redes de drenagem pluvial nos bairros que margeiam o igarapé; implantação de 3.500 metros de vias marginais ao igarapé, com ciclovias e pista de caminhada; construção de parques lineares; construção de um parque urbano de 150 mil m2 na área localizada em frente à prefeitura". (Leia aqui no site da Prefeitura)

Mentiras

Há muito pouco de verdade em tudo o que o governo de Parauapebas propagandeia do PROSAP, inclusive quando o relaciona com o BNDES, uma coisa não tem nada com a outra, DARCI e o vice decorativo, SÉRGIO DA ANAGRÁFICA, estiveram na sede deste banco na data de 21 de fevereiro de 2019, foi apenas um passeio sem qualquer resultado para os cidadãos de Parauapebas, uma reunião em que foram oferecer a 'privatização' da SAAEP para especuladores, para o contribuinte municipal de Parauapebas sobrou a conta das diárias e das passagens pelo passeio do prefeito e vice prefeito.

A notícia que a agência do BNDES publicou sobre a reunião está (AQUI), leia.

PROSAP saiu e entrou o "caçambão da SEMOB"

O Banco Mundial não tem como liberar os recursos para as pretensões de Darci Lermen, o PROSAP foi para o buraco do "caçambão da SEMOB". 

O prefeito Darci Lermen poderia acabar com o 'caçambão da Semob', rapidamente ele conseguiria iniciar o PROSAP com recursos próprios, caso realmente esta obra fosse prioridade, ou seja, basta excluir a White Tratores com seus 260 caminhões da 'folha de pagamento' da prefeitura.

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2020

O 'caso Pazinato' foi parar na Polícia Federal, o 'caçambão da Semob' é mais grave, ameaça prefeitos de Parauapebas e Canaã dos Carajás

Preço de locação de caminhão pelo governo de Marabá mostra que o 'caçambão da Semob' de Parauapebas é caso de CPI e Polícia




Pazinato e White Tratores - a maldição dos royalties

A professora Maria Amélia Enríquez, na sua obra 'Mineração: maldição ou dádiva?', já alertava sobre a má governança das rendas dos recursos minerais, os gestores sempre ignoram o inevitável exaurimento das jazidas, vivem na gastança como se o período de 'bonança' não fosse ter fim. Em matéria de má governança, Maria Amélia subestimou os políticos de Parauapebas e Canaã dos Carajás, mas é perdoável, o 'caso Pazinato' e do 'caçambão da Semob', operado pela empresa White Tratores, são coisas inimagináveis, retratam as opções equivocadas de prefeitos como Darci Lermen e Jeová Andrade, escolheram o caminho de quem decide transformar o que poderia ser uma dádiva em 'pura maldição'.

A descoberta, via denúncia do vereador Anderson Mendes/PTB, de que os prefeitos de Canaã dos Carajás e Parauapebas pagam um preço entre duas a quatro vezes mais caro que o praticado pelo governo de Marabá, pela locação de um mesmo caminhão, coloca os vereadores daqueles municípios, que silenciam, em situação de franca desmoralização (aqui - Sol).

'Caçambão da Semob' pode ser mais danoso que o 'caso Pazinato'

O volume de recursos envolvidos no 'caçambão da Semob' pode deixar o 'caso Pazinato' bem longe, enquanto este faturou algo em torno de R$ 62 milhões, a empresa de locação de máquinas já 'encaçambou' mais de R$ 143 milhões.

O 'caso Pazinato' foi denunciado numa Ação Popular em 2013, revelou uma sofisticada organização criminosa atuando pra desviar os recursos dos royalties da mineração em Parauapebas, tendo obrigado a PF a realizar duas operações policiais contra as pessoas envolvidas: a ‘Operação Timóteo’ e a ‘Operação Nibelungo’.

Operação Timóteo

Na ‘Operação Timóteo’, em 16/12/2016, no processo n° 72640-93.2015.4.01.3400, tramitando na 10ª Vara Federal do DF, gerou os mandados de prisões em desfavor dos réus DARCI JOSÉ LERMEN (prefeito), JOSÉ RINALDO ALVES DE CARVALHO (ex-secretário de fazenda) e Jáder Alberto Pazinato, sócio do escritório JADER ALBERTO PAZINATO ADVOGADOS ASSOCIADOS, também foi determinada pela justiça a proibição de qualquer depósito/pagamento pelo município em benefício da quadrilha.

Operação Nibelungo

Na ‘Operação Nibelungo’, em 23/10/2018, foi determinado o afastamento e bloqueio de bens do Conselheiro do TCM-PA, ALOÍSIO AUGUSTO LOPES CHAVES, bem como busca e apreensão na residência e no próprio Tribunal de Contas, por receber R$ 2,8 milhões da organização criminosa para emitir parecer favorável ao 'caso Pazinato'. O Conselheiro continua afastado do Tribunal de Contas, por ordem do Superior Tribunal de Justiça, confirmada pela sua Corte Especial em 24/10/2018, na QO nas MEDIDAS INVESTIGATIVAS SOBRE ORGANIZAÇÕES CRIMINOSAS Nº 5/DF/ 2018/0234018-9.

O 'caçambão da Semob' pode ser ainda mais escandaloso que o 'caso Pazinato'.

Em Parauapebas, silêncio sobre o 'caçambão da Semob'

A empresa envolvida no caso do "caçambão da Semob' de Parauapebas, a White Tratores, foi denunciada pelo vereador Anderson Mendes/PTB, na tribuna da Câmara de Canaã dos Carajás (aqui - Sol), já no município de Parauapebas, epicentro do escândalo, os 15 vereadores permanecem em silêncio sepulcral.

Empregado na presidência da Câmara de Parauapebas

A Câmara de Parauapebas é presidida pelo Sr. Luiz Castilho, que foi empregado da White Tratores, ou seja, deve conhecer bem o valor de um 'caçambão da Semob'.

Caso o nobre presidente da Câmara de Parauapebas não saiba quanto é a locação de um caminhão, com motorista, pode consultar aqui no Mural de Licitações do TCM-PA (clique aqui) 

260 caminhões locados pela secretaria de obras

Resta saber quando o silêncio e a inércia da Câmara de Parauapebas será quebrada, pois se trata de um contrato de locação que consome o estratosférico valor de R$ 150 milhões dos cofres municipais, contrato sobre o qual paira todo tipo de suspeita, desde o superfaturamento de preços até a absurda quantidade de equipamentos locados, 260 caminhões, só caçambas seriam 200.

Até quando os vereadores de Parauapebas e Canaã dos Carajás, por razões nem tão desconhecidas, se esquivarão de cumprirem com o dever de imediatamente instaurar a  devida Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI)?

Não adianta ter a vã esperança de que o "caçambão da Semob' ficará fora da pauta eleitoral e dos tribunais.

terça-feira, 11 de fevereiro de 2020

Vereador Anderson Mendes denuncia que o 'caçambão da Semob' de Parauapebas chegou em Canaã dos Carajás

Vereador aponta indícios de superfaturamento na locação de máquinas pela prefeitura de Canaã dos Carajás





Prefeitura de Canaã importa "caçambão da Semob' de Parauapebas

O vereador Anderson Mendes/PTB, na tribuna da Câmara Municipal, mostrou que o 'caçambão da Semob' de Parauapebas fez dobrar o preço do aluguel de um caminhão pela prefeitura de Canaã dos Carajás.

Com documentos em mãos, Anderson Mendes/PTB trouxe dados que mostram sérios indícios de superfaturamento na locação de máquinas pelas prefeitura de Canaã dos Carajás e também de Parauapebas, a empresa beneficiada é a mesma nos dois municípios, a White Tratores, embora o parlamentar não tenha citado o nome das pessoas envolvidas.

De R$ 13.400,00 para R$ 55.600,00

Os números informados pelo vereador são impressionantes, apesar do forte pronunciamento e das provas que o parlamentar apresentou, o silêncio dos demais colegas imperou durante toda a sessão da Câmara de Canaã dos Carajás.

Afinal, como explicar que um mesmo caminhão era locado em 2017 por R$ 17,400,00 e em 2019 o preço tenha subido para R$ 55.600,00?

Pelo visto, o 'caçambão da Semob' de Parauapebas já está operando em Canaã dos Carajás com carga total.

"Caçambão da Semob"

O vereador mostra que o preço começou a disparar já em 2018, quando o governo de Canaã dos Carajás resolveu aderir a uma Ata de Registro de Preços do município de Parauapebas, da empresa White Tratores.

No município de Parauapebas, no governo anterior, os vereadores recebiam 'mensalão', agora, na cidade se comenta é que vigora o "caçambão da Semob', porém, não há provas de que a casa legislativa tenha substituído o antigo 'mensalão' pelo 'caçambão da Semob'.

Veja o vídeo com o vereador Anderson Mendes