terça-feira, 18 de novembro de 2014

Eurico voltou a dirigir o VASCO, leitor do Diário do Centro do Mundo explica

Por Luiz Edmundo - www.dcm.com.br

Sou sócio do Vasco e votei em Eurico Miranda até com certa emoção na terça-feira. Não vou nem discutir essa ideia meio "infantilóide" de que o destino de um clube não deve ser decidido única e exclusivamente por seus sócios. Valeria para empresas essa tese? Que tal? Eleições diretas pra presidente da Vale, ou da Ambev? Enfim...

Eurico Miranda: o retorno 

Votei em Eurico Miranda, meu caro, em resposta ao que vem sendo feito com o glorioso Club de Regatas Vasco da Gama nesses últimos seis anos. O clube foi tomado através de um golpe cujo caminho é aquele mesmo de quem não tem voto, o nosso digníssimo Judiciário. O TJ-RJ anulou as eleições em que Eurico tinha aumentado sua diferença de votos pro Roberto em relação ao último pleito porque um advogado esqueceu do prazo pra pagar R$ 30 de custas. Dinamite e sua trupe assumiram e, seis meses depois, o mesmo time que ficou em décimo em 2007, chegando a figurar no G4 por algumas rodadas, e que em 2006 hvia ficado a um travessão da Libertadores, esse mesmo time caiu do nono lugar pro primeiro rebaixamento de 110 anos de história. 

Roberto Dinamite: fracassou
Nesses seis anos, o Clube dos 13 foi implodido e os grandes clubes em geral só perderam cada vez mais poder e dinheiro em relação aos empresários e, principalmente, à televisão, no caso, à Globo. 

Votei em Eurico, meu caro, porque vou preferir sempre o futebol dos cartolas da antiga a este moderno e vistoso futebol milionário empresarial comandado e pensado por uma emissora de TV que, no fim das contas, foi dar no 7 a 1. 

Cartolas como Eurico precisarão sempre de um clube forte, e por isso pensam, sim, no que é bom para o clube e sua história, ao contrário dos neo-executivos profissionais de gel no cabelo.

Eurico, por exemplo, aumentou o patrimônio do Vasco consideravelmente. Quando ele saiu, o clube tinha seu hoje sonhado CT de primeira linha para o time profissional, e começava as atividades da base nos campos recém construídos bem ao lado do parque gráfico do Globo (olha outro motivo do ódio midiático aí). 

Tinha também um hotel concentração dentro do terreno de São Januário, que foi ampliado na administração dele, comprando as casas ao redor pra fechar um quarteirão inteiro pro Vasco. Os profissionais concentravam dentro de São Januário para os jogos no estádio, sem gasto de verba com hotel cinco estrelas, farra que torra muito do dinheiro dos grandes clubes cariocas. Hoje o hotel serve só à base, talvez nem isso, e os CT's para os profissionais e a base foram perdidos pela administração que nos deixa. 

Eurico também teve uma ideia que nenhum de nossos novos super gestores profissionais teve. Construiu um colégio dentro de São Januário, que atendia a todas as crianças da base vascaína e a um ou outro da comunidade ao lado, a Barreira do Vasco. Jogadores como Alex Teixeira, Alan Kardec e Phillipe Coutinho jogavam na base e estudavam até o terceiro ano do segundo grau, saíram os dois para a Europa com o segundo grau completo, como todos os atletas da base do Vasco. Mas isso tudo não conta, porque, no caso de Eurico Miranda, é de quase 100% o índice de credibilidade da nossa grande mídia, até nos leitores do DCM! Não deixa de ser interessante...

Um comentário:

  1. Parauapebas Urgente!20 de novembro de 2014 10:08

    Eurico MIranda, é bom lembrar, foi aquele dirigente que levava a renda dos jogos do vasco para sua residência, até ser vitima de um estranho assalto, jamais desvendado.É aquele que, também, foi condenado pela justiça para devolver mais de R$ 1milhão ao clube, por ter tentado subornar desembargadores do rio no caso do acidente envolvendo o ex-atacante edmundo.Deputado Federal, continuou a se envolver em varias situações suspeitas.Em 2002, perdeu sua imunidade parlamentar quando não se reelegeu para a Câmara dos Deputados. Em 2006, teve sua candidatura cassada pela juíza Jaqueline Montenegro, do TRE/RJ, “por falta de condições morais” para exercer o mandato de deputado federal, como registrou a Agência Brasil, de 24/08/2006. Eurico recorreu, a decisão foi revista pelo TSE, mas não foi eleito. Em 2007, Eurico Miranda foi condenado em primeira instância a dez anos de prisão, em regime fechado, por crime contra a ordem tributária e não recolhimento de contribuição previdenciária. A sentença, expedida pelo juiz Flávio Oliveira Lucas, da 4ª Vara Federal Criminal, no Rio, obrigou o dirigente também a pagar multa de aproximadamente R$ 53 mil. Mas sua sentença foi anulada pelo STJ, em 2008.
    Eurico Miranda reflete, no futebol, o que temos de pior na política.
    Nada mais sintomático que volte ao comando do Vasco logo após as eleições presidenciais, onde a corrupção como prática de governo foi aprovada pela maioria da população, com aval de setores da imprensa que se autointitulam "progressistas' ai incluídos um blog de jornalista empregado de polêmico dono de igreja e outros menos votados, dentre os quais o nosso festejado SOL.
    Sinais dos tempos, diria a velhinha de taubaté!

    ResponderExcluir