quinta-feira, 2 de outubro de 2014

O vale tudo eleitoral em Parauapebas - Realização de show de capoeira em comício

VEJA O VÍDEO DO EVENTO

video

VOCÊ VIU O PREFEITO, OS CANDIDATOS E O SHOW DE CAPOEIRA  - SERÁ QUE O PROMOTOR ELEITORAL VIU? BEM QUE ELE FOI PROCURADO, MAS NÃO FOI ENCONTRADO NO MUNICÍPIO PARA REALIZAR O FLAGRANTE.

A eleição está sem o menor controle por parte das autoridades, uma bagunça, abusos cometidos e divulgados na página oficial do candidato governista, na certeza da impunidade, os eventos vão se repetindo todos os dias, os abusos são flagrantes, mas as autoridades nada fazem na riquíssima capital do minério - a PARAUAPEBAS.

VEJA FOTOS DO EVENTO


O PREFEITO E OS CANDIDATOS

Candidatos do vale tudo eleitoral: Gesmar e Wlad 



ASSOCIAÇÃO GIRÃO RECEBE RECURSOS DA PREFEITURA

Além do showmício ou de evento assemelhado, a apresentação do grupo de dança é uma clara ilegalidade, agravada ainda pelo fato da associação ser patrocinada por convênio com o município, isso mesmo, recebe recursos de um convênio assinado com o governo VALMIR DA INTEGRAL, veja:


Em 2014, nesse ano eleitoral, a associação recebeu mais de R$ 557 mil, em 2013 tinha recebido apenas R$ 368 mil.

Veja que a associação tem como atividade eventos ligados à cultura e à arte:



Infelizmente, a associação que faz um trabalho social importante, comprometeu tudo, numa clara improbidade administrativa com finalidade eleitoral, servindo ao abuso de poder político.

Vamos verificar o que diz o Ministério Público Eleitoral.


Veja  o que diz as leis eleitorais:
__________________________________________________

DA RESOLUÇÃO 23.404 - TSE - PARA AS ELEIÇÕES DE 2014


"Art. 10. (...)

§ 4º É proibida a realização de showmício e de evento assemelhado para promoção de candidatos e a apresentação, remunerada ou não, de artistas com a finalidade de animar comício e reunião eleitoral, respondendo o infrator pelo emprego de processo de propaganda vedada e, se for o caso, pelo abuso do poder (Lei nº 9.504/97, art. 39, § 7º; Código Eleitoral, arts. 222 e 237; e Lei Complementar nº 64/90, art. 22)."

DO CÓDIGO ELEITORAL

Art. 237. A interferência do poder econômico e o desvio ou abuso do poder de autoridade, em desfavor da liberdade do voto, serão coibidos e punidos.

§ 2º Qualquer eleitor ou partido político poderá se dirigir ao Corregedor-Geral ou Regional, relatando fatos e indicando provas, e pedir abertura de investigação para apurar uso indevido do poder econômico, desvio ou abuso do poder de autoridade, em benefício de candidato ou de partido político.

9 comentários:

  1. É proibida a realização de showmício e de " EVENTO ASSEMELHADO" ...com o agravante de que a Associação de Artes Marciais - AGAM , ser patrocinada com dinheiro público, constituindo flagrante despeito à Lei, uma vez que os demais candidatos não podem contar com a AGAM ou demais instituições patrocinadas com o dinheiro da população. Se as autoridades não tomarem nenhuma atitude face esse abuso, então, melhor mudar de Parauapebas porque "tá tudo dominado" e "blindado".

    ResponderExcluir
  2. Aí so mostra os valores repassados de 04 a 08 qual a irregularidade? Se nao fosse os "paranauê" da capoeira seria um evento politico comum como qualquer outro, um bando da espertos falando e os "inocentes" olhando e batendo palma

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando me falaram do vídeo no site da campanha do próprio candidato eu não acreditei, achava que era exagero, mas ao assistir eu vi que o negócio é loucura real, coisa de maluco beleza, mas me disseram que está tudo nas mãos do ministério público, mas de duas horas de filmagens, só vendo pra crê. Ilariê. Ilariê. Paranauê, Paranauê.

      Não foi um evento político comum, esse teve participação da AGAM.

      O Inútil do WLAD veio arriscar perder o mandato e ficar inelegível justamente na terra sem lei, mas que ironia.

      Paranauê, Paranauê.

      Excluir
  3. Pior do que isso só o ex procurador querendo dar uma de bom moço. .. Já vai tarde ! Os munícipes agradecem.

    ResponderExcluir
  4. O vídeo, por si só, é prova inconteste para a propositura de Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE). Só para efeito de argumentação, qualquer candidato tem legitimidade para propor referida ação.

    ResponderExcluir
  5. O promotor eleitoral que não vê nada, foi verificar uma denúncia contra a irmã Luzinete e quebrou a cara, saiu com as pernas entre o rabo.

    Mas contra o governo da rica cidade ele não vê nada. Vc tem razão Lindolfo.

    ResponderExcluir
  6. Promotor só vai naquilo que lhe interessa, ele vai muito ser contra o Governo, seria pior pra ele.

    ResponderExcluir
  7. A república de marabá não abandona seus membros e o tal de Marconinho agora é adjunto na secretaria fantasma de mineração que é comandada pela mulher do homem da ascom ou seja esse peninha é uma graça

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aquela bruaca vigarista também tá no desgoverno junto com seu atrapalhado marido incompetente?

      Excluir