quarta-feira, 30 de maio de 2012


Vereador presidente da Câmara foi preso por envolvimento com cartel de postos de combustível em Mossoró. A operação foi do MP e PF 



A Polícia Federal e o Ministério Público, com apoio do Conselho Administrativo de Direito Econômico (CADE), deflagraram na manhã desta quarta-feira (30) a Operação Vulcano, para combater possível prática de cartel de combustíveis nos postos de Mossoró. De acordo com informações divulgadas pelo MP no Twitter, foram expedidos oito mandados de prisão e 20 de busca e apreensão em postos da cidade e na Câmara Municipal de Mossoró. 

Na internet, o MP afirmou ainda que “o suposto cartel teria fixado preços de combustíveis e pressionado para aprovação de leis que barram a entrada de novos concorrentes.” Tais projetos estariam barrando principalmente a concorrência de postos em supermercados e shopping centers na capital do Oeste, completou a instituição.

Em nota, a PF informou que a investigação teve início em novembro do ano passado e conta com a participação de cerca de 90 policiais e 7 promotores de justiça. O nome “Vulcano”, com o qual a operação foi batizada, é uma referência ao deus do fogo da mitologia romana.

Uma entrevista coletiva foi marcada para ocorrer às 10h30 na sede da PF em Mossoró, na rua Rua Jornalista Jorge Freire, no bairro Nova Betânia.

Lista de pessoas que foram alvo de mandados de prisão e de busca e apreensão

O MOSSOROENSE teve acesso a lista das pessoas envolvidas na Operação Vulcano. Foram expedidos mandados de prisão e de busca e apreensão nos locais de trabalho e nas casas das seguintes pessoas: Pedro de Oliveira Mointeiro Filho, dono do posto Mossoró; Otávio Augusto Ferreira da Silva, da rede Fan; vereador Claudionor dos Santos; vereador e presidente da Câmara de Mossoró, Francisco José Lima Silveira Júnior (que está no exterior); ex-vereador Pedro Edilson Leite Júnior, dono do posto Santa Luzia; Robson Paulo Cavalcanti, dono do posto Nacional; Carlos Otávio Bessa e Melo, do posto Nova Betânia; Sérgio Leite de Souza, do posto Olinda; José Mendes da Silva, dono da rede de postos 30 de Setembro.
_______________
Nota: observe que tem vereadores envolvidos e vários empresários enrolados, já pensaram isso em Parauapebas, junta numa só operação as maracutaias do Cartel de Combustível que tem na cidade e esses vereadores tipo Euzébio e Zé Alves com esses contratos de compra de combustível para carros fantasmas,  já pensou se a compra ainda for superfaturada?

Um comentário:

  1. Não seja urubu Lindolfo, aqui no Peba as aquisições do Poder Público, tanto no âmbito Municipal como do Executivo, são feitas sob rigorosa obdiência à moral, à ética e à Lei.

    ResponderExcluir