quarta-feira, 2 de maio de 2012

O delta (ou o “x”) da gestão (ou questão) do Darci

por Isaías Caminha

Começo este texto observando que, em primeiro lugar, não conheço pessoalmente o prefeito Darci Lermen: se o vi, foram duas ou três vezes, nos auges das campanhas de 2004 e 2008 que o levaram, respectivamente, à eleição e à reeleição para a prefeitura de Parauapebas.

Aliás, infelizmente! Digo infelizmente por não vê-lo em nossa cidade; e, não por suas eleições, pois, em meu crescente ceticismo com os políticos, penso que pouca, ou nenhuma diferença faria se fosse outro (ou outra) o eleito. Aliás, se me permitem a insistência, fico a me perguntar o que será que tem um líder político, eleito e reeleito para o cargo máximo da cidade onde mora, para nunca ser avistado andando pela cidade que supostamente administra? Jamais ouvir falar disto em qualquer outro lugar do país. Nem Collor de Mello, em pleno escândalo da República das Alagoas, que o levou ao impedimento e à sua cassação, ainda assim, ele aparecia em público. Mas, o prefeito Darci Lermen, não! Em lugar algum na cidade: não vai a restaurante, não anda nas ruas, não frequenta igreja, não aparece em público. Desconheço caso igual. Alguém poderia me dar notícia de caso semelhante?

Uma segunda coisa a observar é que é evidente a oposição, inclusive em nível pessoal, que este blog faz ao dito. Penso que, às vezes, pessoal, desnecessária e ineficazmente demais! Fato que acaba por obstruir a visão do blogueiro para os méritos e os golpes de inteligência e perspicácia (ou de sorte) política do prefeito!

Veja-se, por exemplo, o empenho, talvez o mais hercúleo esforço já feito em sua vida política, com que nosso prefeito vem tentando, a todo e qualquer custo, político e econômico, evitar que o PMDB tenha candidatura própria. E não é porque goste ou tenha qualquer simpatia pelo partido.

Aliás, mais um, nosso intrépido prefeito não gosta de partido nenhum; nem do PT. A este, então, nutre verdadeiro ódio! Se alguém dúvida, veja o esforço, talvez só menor do que o anteriormente mencionado, com que vem desmoralizando-o desde que se tornou prefeito. O episódio mais recente deu-se na própria escolha do fantoche que resolveu impor ao partido para sua sucessão: um neófito sem nenhuma vivência no partido, sem qualquer identidade ideológica com este, o tal Continho (Umas e Outras) da SEMOB! Será que sabe o que é ideologia? Duvido muito!

Mais: desde que se tornou o gestor municipal, o nosso herói desmoralizou (ou tentou fazê-lo), ao menos politicamente, todas as lideranças petistas, novas ou velhas, do município; ou as desnudou, se se preferir! Ou cooptando-as ou silenciando-as com cargos e benesses. Assim foi com todos: Raimundo Neto, Wanterlor Bandeira, Leo Mendes, Milton Zimmer, entre outros. Com este, diga-se, nem seu pior inimigo o faria mais contundentemente.

Mas, voltando ao “x” da questão, a necessidade que tem o prefeito Darci Lermen de impedir a candidatura peemedebista a sua sucessão, esclareça-se, é um ato de notável percepção política, goste o blogueiro ou não, pois, se o PMDB tiver candidato, quem quer que o seja, os projetos em torno do candidato ventríloquo, Continho da SEMOB, irão por água abaixo, vez que, no contexto político atual, aquele tiraria votos deste e não da oposição como alguns antes imaginavam.

Já houve tempo em que esses dois partidos dividiam votos! Hoje, somam! E o prefeito percebeu isso: não se trata mais de evitar que o PMDB descambe para a oposição; não faz diferença! O “x” da questão é: ou o PMDB se alia com o Continho da SEMOB, ou a sucessão desce cachoeira abaixo. E não haverá milhões, nem da Delta, nem da Decol, nem de OSCIP nenhuma que o sustente.

Pois é, senhor blogueiro, se o prefeito tiver êxito em sua empreitada e conseguir comprar o PMDB, como vem comprando quase todas as lideranças políticas em nossa cidade, seu menino de recado será seu sucessor, e a candidatura de Valmir da Integral se desintegrará ante a “força da grana que ergue e destrói” honras e sonhos!

Eis o que ocorre com o PT de Parauapebas. Um dia, levantou a bandeira da ética e das transformações sociais. Mas, no governo, ao invés de se apoiar no poder da sociedade civil e dos movimentos e criar uma nova hegemonia, preferiu o caminho curto das alianças e dos acordos escusos com todos aqueles que um dia combateu; inclusive, nos métodos, que ora repete. Vem garantindo a governabilidade de mercantilizando as relações políticas e abandonando a bandeira da ética. Um sonho de gerações foi frustrado.

Prepare-se, o que tá ruim, certamente ficará pior!
___________________
Nota: Isaías, como sempre o texto é excelente. No que toca ao SOL DO CARAJÁS, pode lhe parecer pessoal, caro Isaías, mas são apenas aparências (rsrsrsrs). Ao classificar sua análise como excelente, não quer dizer que compartilho. Não vejo méritos em DARCI, não vejo méritos em quem tem no seu próprio partido o exemplo do LULA e prefere copiar o mensaleiro Paulo Rocha e a tresloucada Ana Júlia. Uma aliança PMDB e PT, que dizes tu ser uma "notável percepção" do Darci, é apenas mais um erro e uma grande bobagem, talvez maior que as bobagens que ele protagoniza como prefeito, apenas, juntos PT e PMDB, facilitarão a vida da candidatura VALMIR, ou de uma terceira via. Creio, inclusive, que ele, o DARCI, é muito estúpido, mas não para tanto, embora me disseram, amigos de Belém, que o PT seria um bom vice para a Bel. Acho que ambos, PT e PMDB, só tem alguma chance se os dois tiverem candidaturas próprias, mas te adianto que torço pelo sucesso dessa "notável percepção". Por fim, também ouso discordar de que "o que tá ruim certamente ficará pior", o que me faz desconfiar que ISAÍAS é um petista enrustido (rsrsrs) ou um Argentino extremamente pessimista.  Diante do que fez DARCI e o PT em Parauapebas, as eleições de 2012 só poderão trazer dias melhores aos nossos cidadãos, não é possível coisa pior para nossa cidade, meu amigo Isaías, não é possível mesmo!

No mais, volte sempre! Abs!

Nenhum comentário:

Postar um comentário