quarta-feira, 23 de maio de 2012

Deputados do Pará que votaram a favor do trabalho escravo, o PDT tinha que expulsar esse deputado, se ainda honra a memória de Brizola



Queiroz: ó, o dedinho. Não e não...

Os dois principais líderes da campanha pela emancipação do Tapajós e do Carajás, cujo Plebiscito se deu em dezembro passado, votaram ontem (22) contra a Proposta de Emenda Constitucional a PEC) 438/2001, que prevê o confisco de propriedade onde for flagrado trabalhoescravo.
Tapajós, sim, escravidão também...

A matéria estava estacionada, esperando para ser novamente colocada na pauta de votações do Plenário da Casa, desde agosto de 2004, quando foi apreciada pela primera vez.

Como se trata de uma emenda consitucional, a proposta precisa da aprovação de três quintos do total de 513 deputadas e deputados federais. Ao final, 360 votaram a favor da aprovação da proposta, que segue de volta ao Senado, visto que foi modificada na Câmara, ainda no 1° turno. Um total de 29 foram contra e 25 optaram pela abstenção; 99 parlamentares não votaram.


Ainda da bancada do do Pará na Câmara Federal, outro separatista do sul do Pará, Asdrúbal Bentes (PMDB/Jáder) se absteve, mesmo posição de Zequinha Marinho (PSC).

3 comentários:

  1. a defesa do Estado dos Carajás e Tapajós não precisa dessa gente defendendo...jogam contra, são escravocratas e envergonham seus eleitores

    ResponderExcluir
  2. Mas esses estados nada mais é do que o aprofundamento e a materialização das ambições desse tipo de gente que apoia o trabalho escravo, o latifúndio. Divisão de estado sem discutir e transformar profundamente o modelo de desenvolvimento dele não adianta nada.

    ResponderExcluir
  3. Mas o se esperar de um fazendeiro?

    ResponderExcluir