quarta-feira, 14 de março de 2012


Política e Futebol, jogos dinâmicos e imprevisíveis

Deputado Milton aquecendo para a disputa
O Partido dos Trabalhadores já escolheu seu pré-candidato para disputar a prefeitura. Porém, quem está indo a campo, literalmente, é a equipe comandada pelo deputado Milton Zimmer, o secretário de educação Raimundo Neto e o professor Léo Mendes.

Unidos desde o segundo turno das prévias petistas, o trio tem liderado grupo de partidários, discutido estratégias e tocado a bola para frente. O time esteve no assentamento Onalício Barros no último sábado, 10, e mostrou entrosamento.

“Foi um encontro de militantes históricos do PT com as suas raízes. A comunidade Onalício Barros simboliza a história de conquista dos trabalhadores, onde pessoas como o professor Raimundo Neto, o professor Léo e o deputado Milton fazem parte e por isso é muito bom recebê-los aqui”, disse o anfitrião Douglas, um dos líderes do assentamento.

O cardápio do encontro incluiu churrasco, descontração e, principalmente, política. Indagado pela reportagem se o time estava em pré-campanha, Milton Zimmer refutou a hipótese. “Estar com as pessoas que fazem parte da trajetória política de nosso partido não é fazer campanha”.

“Nós sempre fizemos política, sendo candidato ou não. Faz parte de nossas vidas o contato com o povo, a conversa. E agora, principalmente, é um dever meu, pois um mandato de deputado dever estar sempre buscando dialogar com a sociedade”.

O encontro foi encerrado com uma partida de futebol. Dentro das quatro linhas, o time orquestrado pelo trio petista mostrou entrosamento e chegou a abrir três a zero contra os donos da casa, a seleção Onalício Barros; e teria saído vitorioso e evitado a virada constrangedora para seis a quatro caso a média de idade dos escalados “fosse ao menos um pouquinho menor do que 45 anos, a idade pesa”, justifica-se o professor Léo, sorrindo da situação.

Além de Milton, Neto e Léo, os visitantes ainda contavam com outros nomes do clã petista, como Parazinho e Popó. O vereador Euzébio, pouco adepto às práticas esportistas, amargou o banco de reserva por noventa minutos.

Popó e Raimundo Neto no aquecimento
 (a bola quer distância de ambos, como se vê na foto)
 
No entanto, o que chama mesmo a atenção não é nenhum dos nomes presentes na lista de “convocados”, mas sim a de ausente – no singular mesmo. Ungido nas prévias petistas, o secretário de obras José das Dores Couto parece ainda não ter entrado no time. Embora vitorioso – a custa de métodos questionáveis – no processo interno petista, Couto não se achou, parece não ter descoberto ainda qual a sua posição tática no processo político, jogo tão dinâmico quanto o futebol.

O papel coadjuvante do pré-candidato desde o resultado das prévias tem feito brotar especulações diversas. Nos botequins – quartéis generais das más línguas – e bastidores já se comenta sobre sua possível desistência. Uma das razões, segundo dizem, é a inabilidade política que Couto tem demonstrado para unificar o partido em torno de seu nome; até agora se encontra entrincheirado nas ruínas deixadas pela sua tática adotada nas prévias.

Sem metade de seu partido, o pré-candidato ainda tem de enfrentar outra barreira: a pouca expressividade e difusão de seu nome junto à população de Parauapebas, para qual trata-se de um quase completo desconhecido. Afora isso, o pré-candidato começa a sofrer a desconfiança política dos seus próprios patrocinadores políticos, inclusive o prefeito Darci Lermen, que já cogita sua eventual substituição, caso seu nome não decole até fins de abril.

O que não se sabe é se, acaso essa hipótese se confirme, quem será escalado para substituí-lo: o prefeito Darci Lermen convocará alguém de outro time (do PP? do PMDB?) para comandar a candidatura petista? Os petistas vão aceitar?

9 comentários:

  1. Já era de se esperar. Foi carta marcada. O Roque Dutra será o "substituto" do Coutinho que funcionava com uma espécie de Boi de Piranha para o principal estrategista do governo entrar em campo. Agora os petista terão que fazer acirrada campanha pro novo candidato.

    ResponderExcluir
  2. isso nao e time e uma quadrilha se milton jogar igual ele a tua como deputado e muito ruin

    ResponderExcluir
  3. eram todos pobre agora tudo rico e ficam brigando

    ResponderExcluir
  4. esse leo chogou aki ontem e fica querendo paga de bonzinho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
  5. Ah, então tem que se passar 20, 30 anos num lugar pra se credenciar a alguma coisa? o prof Léo chegou marcou espaço com competência, conhecimento e visão etratégica e tá aí melhor que muita gente como o Darci que tem gerações aqui e ...bem, sem comentários!

    ResponderExcluir
  6. Coutinho é o candidato "flanelinha" (aquele que guarda varga)

    ResponderExcluir
  7. Léo é representante legítimo de várias pessoas, dentre elas, produtores rurais, colonos, intelectuais, produtores culturais, amigos, de gente simples que também faz acontecer, de pessoas da clase trabalhadora, mineradora e de muitas outras categorias. Nele foi depositado e confiado a esperança de dias melhores e de pelo menos que force um debate necessário (diga-se de passagem) para que se aprofunde as questões que envolvem o indivíduo e as organizações.
    Léo, vc é uma grande conquista dessa cidade manchada pela corrupção e descaso que assolou sempre este município desde o princípio. Tenho dito!
    "O Gigante"!!!!

    ResponderExcluir
  8. Eu prefiro o outro Léo, aquele da dupla Victor e Léo..É mais fofim...

    ResponderExcluir