sábado, 17 de março de 2012

Em Parauapebas o plano é não agir. Um escândalo a inércia do Ministério Público local 

Primeiro foi uma audiência pública que o Ministério Público realizou em Parauapebas e que os cidadãos nem ficaram sabendo, viram apenas a foto, claro, uma foto em que só aparecia os membros do próprio MPPA. Segundo, um plano de atuação que ninguém sabe do que se trata e, terceiro, uma inércia que agride o bom senso e a cidadania, não é mais possível esperar que os membros do Ministério Público em Parauapebas faça algo para combater os desvios de recursos públicos que sangra nosso município. É preciso urgentemente denunciar a inércia do órgão ao Conselho Nacional do Ministério Público, pois a corregedoria e a ouvidoria do órgão no Pará nada fazem.

O caso PAZINATO fará aniversário de um ano e nada de concreto foi feito pelo Ministério Público em Parauapebas, são milhões que foram desviados do erário, em forma de honorários advocatícios, em "modus operandi" de uma verdadeira organização criminosa, chefiada por ninguém menos e ninguém mais que o próprio prefeito, o Sr. DARCI LERMEN-PT.

A Contas Consult tem contrato milionário, há vários anos esta empresa presta consultoria ao município, também trata-se de algo ilegal e altamente lesivo aos cofres públicos. É uma consultoria permanente. 

O Darci junto com Sr. Roque Dutra contratou a empresa da própria esposa e cunhado do secretário. Empresa recém criada, que em menos de 90 dias já tinha participado e ganho uma licitação milionária. Em menos de 3 meses de existência, os cofres da empresa da esposa do secretário de urbanismo já estava "abarrotado" de dinheiro público!

Na Câmara de Vereadores os desvios de dinheiro público são mais que evidentes, bastaria o Ministério Público ir no próprio portal da transparência que verificaria despesas mais que suspeitas, um verdadeiro assalto ao dinheiro do povo, como a despesa de 20 mil litros de combustível, em pleno recesso parlamentar. Além de locação de veículos que nunca existiram, comprovadas, provavelmente com notas fiscais frias!

Diante de tudo, não se tem notícia de qualquer atuação do Ministério Público para combater esses desvios, pelo contrário, os políticos locais dizem que mantém constante "diálogo" e atuam em verdadeira parceria com os membros do MPPA, o que nos parece algo estarrecedor e, queremos acreditar, seja apenas uma "bravata", isto é, tomara que seja apenas mais uma mentira dos políticos de Parauapebas. 

3 comentários:

  1. A pedido de vereador, o Juiz e o Promotor acionados e o mesmos em carne e osso foram ao Posto Vale Verde e flagraram o pessoal do então candidato Milton Zimmer distribuindo fartamente gasolina numa fila quilométrica. O que aconteceu ?... pasmem... NADA!!!

    ResponderExcluir
  2. Só o Tribunal de Justiça possui dezenas de servidores da Prefeitura prestando serviço no fórum local. Na Justiça Eleitoral somente a chefia não pertence à Prefeitura. Pergunta-se : qual a isenção do TJPA em demandas contrárias à Prefeitura?..."ISSO É UMA VERGONHA!!!"

    ResponderExcluir
  3. Os reclames contra o MPE em muito se assemelham àqueles envolvendo a telefonia móvel, a Internet, as filas de banco, as condições da carceragem do Rio Verde e o péssimo estado das estradas.
    A inércia do MPE deve ser levada ao conhecimento formal da Corregedoria da instituição e, também, ao Conselho Nacional de Justiça, visto que a OAB local assiste tudo com “cara de paisagem”, renunciando, sem que saibamos ao certo os motivos, ao seu histórico papel de vanguarda na defesa dos direitos violados da sociedade.
    Somente assim procedendo poderemos dar um basta a pétrea convicção de que,aqui em Parauapebas,”não pega nada”, expressão que traduz a sensação de absoluta impunidade que estimula a ação dos malfeitores travestidos de agentes públicos que sangram nossa querida e maltratada cidade.

    ResponderExcluir