quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Malandragem e corrupção

O Blog tem batido na tecla que contratos "ad exitum" foi banido da administração pública, nenhum Tribunal do país aceita esse tipo de pactuação, os motivos são óbvios, exceto para o Ministério Público em Parauapebas que estranhamente faz de conta que nada ver.

No caso de Parauapebas a cidade estar sendo LESADA por malandros, vide contrato PAZINATO, nos parece que o contrato entrega ao Advogado de Camboriú-SC, 20% das receitas públicas do município. O Blog custou acreditar no que ouviu de fonte que trabalha na SEFAZ,  a "mágica" é o seguinte: comprou-se um sistema que envolve CONSULTORIA/SOFTWARE para gerenciar a arrecadação fiscal de Parauapebas, tomou-se como referência o patamar de determinado ano, a partir daí o que for acrescido a arrecadação é atribuído a uma suposta "mágica" do software, isso mesmo, não se considera que a arrecadação de Parauapebas cresce em virtude da atividade econômica no município, devido ao aumento da exploração e do preço dos minérios, com reflexos em toda a cadeia econômica da região. Pois bem, daí  em tudo  que foi acrescido incide um percentual que é repassado ao escritório!

Isso não é possível, se for verdade o caso é de CADEIA urgente! Isso extrapola a malandragem e passa a ser pura "corrupção"!

Que o Ministério Público investigue imediatamente e deixe de fazer de conta que não tem nada a ver com isso!

Nenhum comentário:

Postar um comentário