domingo, 28 de agosto de 2011


Casa Militar pode ser elo do roubo na AL

Domingo, 28/08/2011, 04:14:48
Tamanho da fonte: A- A+
Casa Militar pode ser elo do roubo na AL (Foto: Rogério Uchôa)
O promotor Azevedo: cerco aos envolvidos pode levar ao mandante (Foto: Rogério Uchôa)
O Ministério Público começou a montar o quebra-cabeça que vai permitir individualizar responsabilidades de civis e militares pelo cinematográfico sumiço de 52 processos de licitações fraudulentas dos arquivos impressos da Assembleia Legislativa e pela destruição dos registros eletrônicos desses documentos nos computadores da AL. O promotor Arnaldo Azevedo, que vasculha o poço de fraudes no parlamento, admitiu sexta-feira ter reunido fortes indícios que ligam os coronéis Rufino e Osmar, da Casa Militar da AL, à operação militar que retirou a documentação do prédio da AL no dia 28 de maio último em uma viatura da Ronda Tática Metropolitana (Rotam). “A comprovação disso é que agora precisa ser feita”, afirma o promotor.
As investigações conduzidas por Azevedo chegaram perto do gabinete do presidente da AL, Manoel Pioneiro. Na antessala, Rufino, que é homem de confiança do ex-presidente e hoje senador Mário Couto (PSDB), teria sido o artífice, com a ajuda do coronel Osmar Nascimento, da operação militar que escoltou a papelada para fora do prédio. A reconstituição com provas da manobra dos militares está sendo feita com a ajuda de depoimentos e de investigações. Os dois coronéis serão chamados a depor em data ainda não definida.
Segundo Azevedo, na última terça-feira, 23, o subcomandante da Rotam, major Márcio Raiol, prestou depoimento reservado no MP e admitiu em parte o que o DIÁRIO publicou com exclusividade na quinta, 25. Raiol confessou que a viatura que serve a ele na Brigada Militar, uma das mais estratégicas e temidas no enfrentamento ao crime urbano, esteve mesmo no prédio da AL na manhã de 28 de maio. O oficial, porém, negou a Azevedo qualquer operação criminosa montada para o rapto de documento público. Leia mais no Diário do Pará
________________________________________
Nota: o caso do Pará é de intervenção. O crime tá alojado na Casa Militar, chefiada pelo próprio Governador Simão Jatene. Você já imaginou se não fosse um Ministério Público atuante, essas coisas estariam que nem a corrupção do governo DARCI, nas mãos de um membro do MP que na verdade é um tomador de café, um "rato de gabinete", esses promotores de justiça que estão em Parauapebas, comendo diárias do erário, tinham que criar vergonha, dignidade e trabalharem!!

Um comentário:

  1. O blogger onde podemos denunciar a inoperancia desse MINISTERIO PUBLICO daqui de parauapebas. Que esta de olhhos fechados para os la... que governam a cidade.

    ResponderExcluir