quinta-feira, 30 de junho de 2011

Sobre o dinheiro público e o BNDESPar


Muita especulação e pouca informação no caso da fusão Carrefour e Pão de Açúcar, do empresário Abílio Diniz.
Não existe empréstimo do BNDES, é participação do BNDESPar, ou melhor BNDES Participações S/A, com Debêntures negociados na bolsa, não dinheiro publico, responsável por aproximadamente 50% do lucro do BNDES que foi de R$ 9 bilhões no ultimo exercício.

O BNDESPar posiciona-se em mercados e empresas estratégicas, como Vale, Petro, JBS, (maior fornecedor de proteína animal do mundo), Empresas de Energia (Produção e Transmissão), Usinas Alcooleiras, enfim, empresas onde a participação e influencia do governo pode ser fundamental para regular mercados e garantir segurança energética e alimentar.
O Brasil é a menina dos olhos de todos grandes varejistas do mundo, ou os brasileiros se posicionam no mercado ou os estrangeiros virão, e não terá um brasileiro no conselho dessas empresas. Com essa operação o BNDESPar terá participação societária de 18% no conglomerado Brasileiro e 9% de participação nas operações globais, ou seja, lugar no conselho e influencia estratégica nas operações globais de um dos maiores distribuidores de alimentos do mundo. 

Essa não é apenas uma jogada comercial, isso é Realpolitik, enquanto a China está buscando investir e controlar áreas energéticas e alimentares, nos aqui olhando apenas para nosso território, achando que é dinheiro da viúva para supermercados, esse negócio trata de um posicionamento na distribuição global de alimentos, e governo brasileiro ter essa influencia é uma jogada de mestre. 
__________________________________________
Nota: foi bom para o Brasil a Rede Globo é contra. Ela quer a grana do BNDESpar só pra ela. Ela também gosta de concorrência, desde que não seja para os direitos de transmissão do campeonato de futebol brasileiro. A Globo é como o PSDB, trabalha contra o Brasil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário