sexta-feira, 17 de junho de 2011

Em sessão tumultuada, vereadores não conseguem afastar prefeito de Campinas

Proposta recebeu 16 votos a favor e 15 contra. Para aprovar o afastamento, seriam necessários 22 votos
São Paulo – Após uma tumultuada sessão na quarta-feira (15), na Câmara Municipal de Campinas, interior paulista, os vereadores não conseguiram afastar do cargo o prefeito, Dr. Hélio (Hélio de Oliveira Santos, do PDT). Os parlamentares votavam pelo afastamento enquanto durarem as investigações do Ministério Público, sobre esquemas de corrupção em licitações do Executivo.
A iniciativa do requerimento é do vereador Valdir Terrazan (PSDB), que chegou a colocar em xeque a honra da Câmara, caso o texto não fosse aprovado. “Não estou aqui para estar no palanque. Estou aqui para denunciar atos de corrupção, atos gravíssimos! A Câmara ou sai daqui honrada ou sai daqui acabada”, afirmou.
Após três horas de acusações, brigas e discussões dentro e fora do plenário, a proposta recebeu 16 votos a favor e 15 contra. Houve duas abstenções. Apesar de alcançar a maioria, para se aprovar o afastamento seria necessário que dois terços dos parlamentares (22) votassem a favor da matéria.
Além do plenário – com capacidade para 350 pessoas – lotado, algumas pessoas se agrupavam do lado de fora da Câmara, onde foram instalados telões para os interessados acompanharem a votação. A maioria pedia o afastamento de Hélio, mas havia alguns defensores da permanência do prefeito.
Dessa forma, Dr. Hélio permanece no cargo. O autor do requerimento garante que irá apelar para o Judiciário. "Lamentável a posição da Câmara Municipal de Campinas. A gente lamenta não poder dar a resposta à altura da população", disse Terrazan.
__________________________________________________

Nenhum comentário:

Postar um comentário